>

14 de jan de 2017

[Crônica] PEDRO LUSO – Injustiça, Ação e Reação




     
        
INJUSTIÇA, AÇÃO E REAÇÃO
PEDRO LUSO DE CARVALHO


A prática de atos de injustiça é própria do ser humano. É-lhe própria também a reação contra essa ação. Não são todas as pessoas que conseguem reagir contra a injustiça, mas é certo que grande parte reage quando são atacadas na sua honra ou mediante agressão física.
É, portanto, igualmente própria do ser humano a reação contra ação que resulte em injustiça. É impossível, no entanto, prever quando se dará essa reação, como impossível será prever-se em que proporção ela se dará – terá a mesma proporcionalidade da agressão?
Mas, independentemente da proporcionalidade da reação, pela pessoa ofendida, o certo é que sempre poderá haver prejuízos para agressor e agredido, no que respeita ao relacionamento que antes existia, e que poderá sucumbir pela impossibilidade de reaproximação.
No plano ideal, a conduta equilibrada do homem eliminaria a possibilidade da prática de quaisquer ações injustas, mas sendo outra a realidade, há que pensar-se bem antes que se pratique atos ofensivos a outrem, para que se evite o mal que pode causar irada reação do ofendido.




    *    *    *






32 comentários:

  1. Maravilhoso texto. Adorei ler.

    Beijo
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Pedro.
    Uma bela postagem, quem faz o mal sempre colhe, de uma maneira ou de outra sempre prestaram conta de todos os seus atos. O que mais vemos hoje em dia é injustiça. Confesso que ultimamente tendo visto cada injustiça que fico a pensar como o seres humanos estão ficando cada vez mais frio e desumano. Um lindo domingo e para a Tais também. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Cuanta razón .
    Desde luego si no se perdieran tanto los valores, no existirian tanta injusticia.
    Besitos

    ResponderExcluir
  4. Olá Pedro é difícil mesmo prever que reação se vai ter diante de uma agressão, o que sei é que sofrer uma injustiça no minimo causa dor e frustração.
    Gostei de sua postagem faz pensar.
    Abraço
    Léah

    ResponderExcluir
  5. Qué difícil predecir cuál será la reacción del receptor de una injusticia. Una vez pasada, al agredido pueden ocurrírsele numerosos medios a los que podía haber recurrido, desde la respuesta hiriente a la agresión física. Pero en el momento mismo de recibirla… De ahí que sucedan tantas desgracias.
    Su último párrafo es muy acertado. Saludos.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do texto amigo Pedro e infelizmente os actos de injustiça são cada vez mais, devido à sociedade de consume em que vivemos, em que tudo é descartável até muitas vezes o relacionamento, civismo e a educação.
    Um abraço e bom Domingo.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  7. Purtroppo il mondo è pieno di ingiustizie e sembra che nessuno abbia
    la volontà, di fare in modo, che esse non accadano mai più
    Un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  8. Abençoado domingo! Beijos

    ResponderExcluir
  9. o texto está muito assertivo e merece reflexão.
    um bom texto.
    bom domingo.
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir
  10. Querido amigo Pedro, sempre com textos para se fazer pensar, nossa, eu nunca me vi tendo reações agressivas, pois acredito que é bem melhor sofrer injustiça do que a cometer.
    Tenho algo comigo que é a de "contar até dez", não gosto de ter de pedir desculpas, amo por demais a paz!
    Acredito na Vida, na minha Vida!
    Meu amigo, sou de uma sorte, fico "burra" quando alguém tenta me ofender, aí tudo fica bem pra mim que é o que me importa!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  11. Pedro, penso que uma injustiça feita terá a relevância de uma mentira, essa em grau maior ou menor vista por terceiros. Quem é injustiçado, agredido tanto verbalmente como fisicamente sofrerá a dor que só ele poderá saber o tamanho de sua relevância. Por isso é bom ao agressor, pensar duas vezes se valerá a pena agredir. São atos que nunca se sabe se será desproporcional, apenas do agredido será a dor. O que é muito para um, poderá ser pouco para o outro. Dado a isso, o que é saudável, mesmo, é não agredir.
    Beijinho, querido, daqui do lado.

    ResponderExcluir
  12. Un excelente texto. Es difícil saber la reacción ante una injusticia.

    Feliz semana.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  13. Por esta tierra corre un dicho: NO LAS HAGAS Y NO LAS TEMAS.
    CARIÑOS Y BUEN COMIENZO DE SEMANA.
    KASIOLES

    ResponderExcluir
  14. E muitas vezes... a acção e a reacção... prosseguem num espiral crescente... para a injustiça, a imbecilidade, e a irracionalidade... guerras são iniciadas assim... não apenas entre indivíduos, mas no colectivo...
    Os seres humanos sabem de tudo isso... e ainda assim... sempre persistem nos mesmos erros, que transitam ao longo da história, em qualquer continente ou país...
    Decididamente equilíbrio e entendimento... ainda não são qualidades muito desenvolvidas pela espécie humana...
    Belíssimo e assertivo texto, Pedro!
    Abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Pedro
    Lendo sua crônica me deixei levar por esse tema tão substancial. Uma pessoa injustiçada, ofendida tende a reagir violentamente e por vezes revida a agressão com tanta voracidade que acaba causando uma ruptura na relação
    O saudável é não agredir, é pensar milhões de vezes antes de proferir uma palavra que possa ferir o seu semelhante pois esta ao encontrar um coração amargurado terá como reação uma explosão como pólvora em um barril
    Melhor agir com a razão. Ser comedido e não se guiar pela emoção
    Uma semana iluminada
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Palavras vindas de quem sabe!
    Uma boa semana.
    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Ser vítima de injustiça é uma coisa muito cruel. Muitas pessoas não reagem, ou fazem-no de uma forma inesperada. É que não é fácil ... O seu texto é para reflexão, amigo.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Bom dia, Pedro,
    toda pessoa ofendida terá uma reação, seja de raiva ou de passividade, mas com certeza, sofrerá.O certo, seria pensar muito, refletir e deixar passar, o que nos custa muito,e mesmo assim algo mudaria, é como a história do vaso, uma vez quebrado, mesmo que bem colado não será o mesmo vaso,e muito se perde quando há uma injustiça,seria excelente se no mundo as injustiças acabassem, mas penso ser uma utopia....seu texto nos faz pensar, pois muitos já sofremos injustiças ou fizemos sofrer. Tenha uma boa semana! Abraços para a Tais.

    ResponderExcluir
  19. Pedro, algo muy delicado es cuando alguien por hacer justicia, comete otras injusticias. Pu es oara hacer justicia hay que poner equilibrio dos partes y casi siempre la balanza se carga hacia un lado más que al otro. Porque pocos son imparciales. Es cosa muy difícil, en un mundo que lo hemos hecho tan agresivo.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  20. Pedro, o equilibrio, em todas as acções humanas, seria o ideal, mas o ideal não exite; existe, sim, a imperfeição e o ser humano, sendo imperfeito será sempre incapazpz de agir com equilibrio. As injustiças fazem parte deste nosso mundo imperfeito e há quem consiga defender-se dessas injustiças não só porque são mais fortes, mais capacitados, mas também porque podem recorrer aos meios existentes para tratar desses casos, O problema é muito maior para aqueles que se vêm incapacitados ,pela sua fragilidade , de recorrem aos meios de defesa. Falando daquelas pequenas injustiças que nos são feitas por pessoas com quem convivemos, ou outras que vemos no nosso contacto diário com o que se passa, aí temos que ter um certo cuidado e, se quisermos defender o injustiçado, devemos ser educados e contidos para não piorarmos a situação. Não sei onde, mas já contei que uma vez, numa repartição pública resolvi defender um injustiçado; com a idade aprendi a ser mais contida, mas dificilmente fico quieta quando vejo um caso que me " arrepia. Estava numa fila de correios e antes de mim estava um senhor de idade que foi maltratado pelo balconista, não de uma maneira muito grosseira, mas querendo fazer com que o senhor soubesse que, como velho, não entendia nada; quando chegou a minha vez, tive que lhe fazer uma pergunta antes de ir ao assunto principal; começou a resposta com uma arrogância tal que eu o interrompi e lhe disse que tinha visto a maneira como tinha tratado o idoso e que estava muito errado se pensava que conseguiria fazer o mesmo comigo; claro, pontei-lhe os erros cometidos com o senhor, defendeu-se como pode, mas a partir daí só faltou estender-me uma passadeira vermelha. Ao lado da fila onde estava, havia oitras e muito juntas, mas, Pedro, não houve uma única pessoa que se juntasse a mim. Creio que em casos destes devemos intervir, não caindo em " em lutas " verbais nem ofensivas. Os idosos são pessoas frágeis e muitas vezes são incompreendidos pelos outros; há pessoas de idade com grandes conhecimentos, cursos superiores e com estes, em geral, ninguém se mete, pois eles sabem defender-se, mas há a outra grande maioria, desprotegida, sem formação que não tem essa capacidade. Tenho muita dificuldade em ficar calada em casos como estes, mas, como disse acima, a idade tem-me ensinado a lidar com isso com menos " braveza". Pedro, um tema muito pertinente e que requer reflexão por parte de todos nós. Dizemos sempre, " há muita injustiça neste mundo", mas, o que fazemos nós? Será que no nosso dia a dia não cometemos as nossas injustiças? O mundo é feito de pessoas e, portanto, se não mudarmos, o mundo continuará igual. Obrigada, Pedro! Uma boa semana. Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  21. Hacer justicia es una tarea dificilísima.
    Hay casos bastante claros: asesinato, robos, etc.
    Pero ¿qué ocurre en ejemplo tan cercanos como con los hijos? Las normas para uno no sirven para otro, pero todos me acusarán de no ser justo. Por ejemplo, mi hijo mayor, cuando tenía 16 años tenía que volver a casa a determinada hora. Años después, mi segundo hijo, al tener 16 años, podía volver más tarde. El mayor se queja de trato injusto. Y yo no sé si lo he sido o no. Las circunstancias cambian mucho y cada hijo es diferente. Todos se quejan de ser tratados injustamente. ¡Ay, Señor, Señor, qué difícil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando se trata de filhos, amigo Dyhego, a situação ainda é mais sensível, pois eles se acham no direito de exigir que se façam “justiça” com eles, e, por qualquer coisa, dizem que não temos os cuidados como os que dispensamos aos outros filhos.
      Abraço.

      Excluir
  22. El ser humano es agresivo por naturaleza, sálvese quien pueda. Después de unos días de catarro y gripe, vuelvo.
    Un abrazo amigo Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vinda, minha amiga Maria.
      Desejo-te melhora na tua saúde.
      Um bom fim de semana.

      Excluir
  23. sábias palavras as tuas, Pedro.

    forte abraço

    ResponderExcluir
  24. O que não falta em nosso país é injustiça. Fazer o que? Estamos cada vez mais impotentes para reação. Mas suas palavras são para a nossa reflexão.
    Forte abraço,

    ResponderExcluir
  25. Atinadas reflexiones, amigo Pedro, propias de un abogado, quién por profesión y sentido de la justicia busca necesariamente el equilibrio.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  26. Ah, si todos fuéramos capaces de obrar bien, dando a los demás lo que deseamos para nosotros, este mundo sería un paraíso. No deja de ser una interesante cuestión como todas las que usted plantea.
    Gracias por sus amabilísimas palabras en mi blog. Feliz semana. Saludos muy afectuosos y cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poetisa Franziska, você merece todos os elogios.
      Recomendo visitas ao seu blog; ali estão belos poemas.
      Abraços.

      Excluir
  27. A amizade é magia sem fronteiras
    que nos une tantas amizades tantos amores,
    num lugar infinito e silencioso,
    palavras, email trocados ,gestos de carinho
    promessa de amizades e de amores eternos.
    Quantas vezes sorrimos ,quantas vezes choramos,
    outras quase morremos de saudades
    sem nunca termos trocado um único olhar.
    Beijos no seu coração.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  28. Olá Pedro, a injustiça incomoda e apaga do ser a possibilidade de equilíbrio e assim as reações são realmente imprevisíveis, uma vez que cada ser ter lá seu limite de suportabilidade diante uma situação adversa. Há ainda a injustiça para com um semelhante e poucos tem reação de defesa do injustiçado, como se vê nos casos da violência urbana, que tanto nos chocam.
    Cumpre cuidar de vigiar nossas ações para que não soframos com a reação alheia.
    Bela ilustração da noite e mais um texto de generosa provocação da reflexão.
    Meu abraço de paz.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO