>

9 de jun de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO – Os vigaristas





OS VIGARISTAS
PEDRO LUS- O DE CARVALHO



Que saibam vocês guardar segredo
das tristes coisas que vou contar,
tristes casos, sem nenhum enredo,
a ninguém fará rir nem chorar.

Pode causar medo a história,
todos somos reféns de bandidos
(triste caminhar, luta inglória)
visíveis todos ou escondidos.


Vigaristas vis do parlamento
gente educada e bem vestida
roubam todos com descaramento,
míseros, pensam ter eterna vida.




*  *  *



43 comentários:

  1. Uma triste realidade neste maravilhoso poema! É assim, em todo o lado. Esles roubam e estão sempre bem

    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Nada mais oportuno do que uma poesia assim hoje, onde vemos por lá a vigarice solta, nada acontecendo e ainda o vampiro se negando a responder perguntas da PF! Booooooooota vigaristas nessa turma, ou melhor, corja! Não dá mais pra querer. abraços, chica

    ResponderExcluir
  3. Sim, Pedro Luso, causa medo a nossa história. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. ME UNO A TU INDIGNACIÓN!!!!
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  5. Lembrei, amigo Pedrinho
    De um conto do vigário:
    Pilantra pega um otário
    E o leva ao seu caminho.

    Ao vê-lo livre e sozinho
    Vende-lhe um bilhete vário
    E ele usa o seu salário
    Para pagar o adivinho

    Ao seu pressagio contado
    Do prêmio, o tal resultado.
    E o serviço era a dinheiro

    Para tirá-lo do estado
    De pobreza, e então cobrado
    Certo pedágio, primeiro.

    Grande abraço. Laerte.


    ResponderExcluir
  6. Así de indignante es el robo de los que están en el poder.
    Buen poema para recordar los ladrones solapados que hay en todos los países.
    Un abrazo y buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  7. Parece que os políticos de hoje em dia, são escolhidos a dedo entre as pessoas mais corruptas da sociedade.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderExcluir
  8. Purtroppo siamo tutti vittime di latrocini da parte dello stato, che, infine
    non ci fa più respirare!
    Buon fine settimana e un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedro!
    Ninguém tem vida eterna.
    Ladrão também morre depois de "pagar" aqui por todo o mal que fez.
    Aguarde para ver.

    Lindo poema, amigo.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. O parlamento, com caixa baixa mesmo, é último refúgio para a falta de moralidade que "campeia" no país. E como se bastasse, perdemos também a confiança judiciário com caixa baixa) depois do farsesco julgamento de ontem. É claro que faço a devida ressalva, para os votos de Rosa Weber, Fux e o Relator (aqui com caixa alta).
    Forte abraço, companheiro!

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Pedro, linda poesia, rimas perfeitas. Grata pela visita ao meu blog e o comentário. Volte sempre! Um final de semana de muita paz. Abraçoss

    ResponderExcluir
  12. Infelizmente eles encontram-se dispersos por tantos e tantos locais.
    Excelente critica poética.
    Bom fim de semana
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde passando para deixar um abraço
    mais uma vez elogiar seus posts, e dizer
    que as boas amizades sempre voltam
    Bjuss de bom final de semana

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  14. Pedro como já disse aqui em casa não assistimos mais jornais televisivos,são sempre as mesmas coisas,já estamos cansados de tanta vigarice.Amei o seu texto.
    Bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  15. Un poema excelente. Me uno a tus palabras.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  16. Olá Pedro seu texto está perfeito, mostra toda a apreensão pela qual estamos passando, toda a vergonha e desesperança.A falta de ética, de pudor, as tramoias combinadas por baixo dos panos, causam nojo, e nada podemos fazer...
    Grande abraço amigo.
    Léah

    ResponderExcluir
  17. Um poema fantástico... que reflecte e resume tão bem, o espírito dos nossos políticos!
    Um brilhante espelho... de uma triste realidade!
    Magnifica inspiração! Parabéns!
    Um grande abraço! Bom domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  18. Purtroppo la corruzione è presente in moltissimi paesi, anche nel mio e siamo noi cittadini che dobbiamo combatterla.
    Bella poesia, complimenti.
    Felice domenica.
    enrico

    ResponderExcluir

  19. Vigaristas.sim.
    E no meu sofrido Brasil,
    onde aconteceu um golpe vergonhoso,
    os vigaristas então no poder.
    Sofrido, muito sofrido.

    ResponderExcluir
  20. Vigaristas é o que mais há. Dentro e fora do parlamento...
    Excelente poema, que bate em quem merece estar na cadeia, o que raramente acontece (infelizmente).
    Bom resto de domingo e boa semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. É o registo da revolta, bem acesa na palavra.
    Muito bem, Pedro!

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  22. «Todos somos reféns de bandidos»...
    Dá mesmo medo, Pedro!
    E infelizmente é a pura verdade! Bandidos de colarinho branco protegidos por imunidade parlamentar!
    Saramago teve razão quando. no seu livro Ensaio Sobre a Lucidez, criou uma situação em que 70% dos votos eram brancos...
    Gosto de Saramago - embora não seja comunista - e concordo que é a única maneira de mostrar o valor do voto.
    Um poema de sentido muito pertinente - é urgente reformar o funcionamento da democracia, pois desta maneira ela não funciona.
    São os intelectuais que devem denunciar a situações, pelo que o Pedro está de parabéns.
    Abraço, Amigo.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  23. Ladrones hay por todas partes y lo malo que los encontramos en donde no deberían de estar.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  24. E como somos reféns desses bandidos de colarinho branco que acham acima do bem e do mal, nos roubam descaradamente e riem das nossas caras por detrás de uma proteção constituição retrógrada e falida mas que lhes assegura a continuidade de estar no poder e continuar surrupiando os bens públicos e levando o povo à triste condição de miserabilidade.
    Parabéns Pedro pela magnífica leitura da realidade do nosso país em especial dos que se intitulam "políticos"
    Uma semana de paz e luz
    Abraços

    ResponderExcluir
  25. Un país tan grande como el tuyo, amigo Pedro, merece mejores guías de la manada.

    ResponderExcluir
  26. É, são os criminosos de colarinho branco, aprontam, assaltam o dinheiro público e fica por isso mesmo, nada de verem o sol nascer quadrado! São acobertados por um sistema falido e desrespeitado. Caduco. E desrespeitado exatamente porque a impunidade começa por ali. Dissimulados. Onde deixaram o patriotismo? Venderam? Trocaram?
    Belo, poema direto e com um ritmo ótimo de se ler!

    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  27. Pura e excelente inspiração baseada na triste realidade!
    Abraço

    ResponderExcluir
  28. Mais um poema que é uma denúncia e um grito de alerta. O nervo das palavras em "carne viva"... Uma boa semana, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  29. “Sei que pareço um ladrão...
    Mas há muitos que eu conheço
    Que não parecendo o que são,
    São aquilo que eu pareço.”

    António Aleixo

    ResponderExcluir
  30. Malandrines de cuello blanco, en todas partes los hay.

    Abrazos.

    ResponderExcluir
  31. Boa tarde Pedro.
    Que belíssimo poema meu amigo. Meus parabéns. Estamos eu e minha filha nesse momento no mesmo quarto e eu li a sua poesia para ela, que te elogiou e disse como consegui-te em um poema relatar a triste realidade. Infelizmente esses vigarista não são só os políticos, tem todos os lugares, por isso sempre devemos está de olhos bem abertos. Uma feliz semana para vocês. Abraços.

    ResponderExcluir
  32. OI PEDRO!
    É AMIGO, TODOS NÓS, PESSOAS DE BEM, ESTAMOS INDIGNADOS MAS, MAIS DO QUE ISSO, DECEPCIONADOS E NOS SENTINDO USADOS, POIS A GRANDE MAIORIA DESSES QUADRILHEIROS SÓ ESTÃO NESSA POSIÇÃO, PORQUE NÓS OS COLOCAMOS NOS CARGOS QUE OCUPAM E TE DIGO PEDRO, TENHO MUITO MEDO DE QUE NÃO CONSIGAMOS PARAR COM TUDO ISSO.
    TEU POEMA DIZ O QUE ESTÁ ARDENDO EM NOSSOS CORAÇÕES.
    PARABÉNS PELA VISÃO CLARA, COLOCADA EM VERSOS.
    ABRÇS.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Oi,Pedro, retrato da sociedade que vivemos, infelizmente...bom seria começar tudo de novo.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  34. Don Pedro:
    ojalá todos "os vigaristas" tengan un final en la cárcel. Y que se les obligue a devolver todo lo robado.
    ¡Ojalá!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  35. Os mais perigosos são mesmo os bem vestidos e engravatados amigo Pedro é aí e por todo o lado, são uma verdadeira praga dos tempos modernos.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  36. Pedro Luso
    Tudo muito bem, poema com muita razão de ser. Acontece que os "fraudantes", sejam de colarinho branco, ou outros não merecem ser lembrados. No entanto, poemas de intervenção como o presente, precisam-se num alarido que os faça tremer!
    Abraço

    ResponderExcluir
  37. Pedro, ante estos delitos el cuerpo me pide castigo, cárcel, descalificación moral. Pero la reflexión me dice que nada de eso sirve con estos individuos, ellos hablan otro idioma. El único que entenderán será que se les despoje de todo lo robado, más el triple de multa. Y que se endeuden de por vida para pagarlo, como por su culpa les pasó a tantos autónomos y pequeños empresarios decentes.

    ResponderExcluir
  38. um poema que denuncia uma triste realidade.
    já o meu pai dizia que a política era "suja"
    um belo momento de um poema muito pertinente
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  39. Larguei a cidade grande, escolhi a província onde nasci para morar, 2.500 hb., aqui ainda me sinto com total liberdade para sentar na minha calçada , admirar o ocaso e não ter que cruzar com essas mazelas nocivas à nossa sociedade que a todo dia agride a todos. É muito assustador sair às ruas, seja caminhando ou de carro. É revoltante o descaso desses bandidos engravatados que ao meu ver são todos coniventes da bandidagem, fico perplexa em ver a Justiça cada dia mais cega. Só Deus para nos livrar.
    Agradecida pela presença em meu blog Pedro.
    A você e sua família um abençoado fim de semana.
    Abraço de Paz!

    ResponderExcluir
  40. La codicia humana es un mal universal. Muchos piensan que serán eternos; sin embargo, la vida no invertirá su marcha ante nada ni ante nadie.
    Saludos

    ResponderExcluir
  41. Engraçado com eles esqueceram os princípios básicos.
    Engraçado como desdenham das leis e da miséria do povo.
    Mas chegará o dia que o cipó de aroeira lhe caia sobre o dorso.
    Belo e bravo grito poeta escritor Pedro.
    Que este grito ecoe pelos corredores suntuosos dos palácios com seus tapetes vermelhos pela vergonha do mau uso da coisa publica.

    Um abração amigo.

    ResponderExcluir
  42. E assim tem sido os tempos atuais no nosso Brasil, que você Pedro, soube tão bem organizar em versos.
    O que eu me pergunto: quando tudo isso vai acabar? Creio que a minha geração não vai estar viva para aplaudir. É preciso muito tempo para se formar políticos honestos, pois para tanto é preciso mudar um povo.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO