>

25 de abr de 2016

[Poesia] PEDRO LUSO – Busco uma pátria



[ESPAÇO DA POESIA]

BUSCO UMA PÁTRIA
– PEDRO LUSO DE CARVALHO


Busco uma pátria,
pátria verdadeira, para amar,
para dar por ela minha vida,
se dela precisar.

Busco uma pátria,
pátria sóbria, uma só bandeira,
sem cor vermelha de sangue,
de paz seja sua cor.  

Busco uma pátria,
pátria, para a ela me entregar,
cantar o hino com galhardia
envolto na bandeira.

Busco uma pátria,
pátria, patriota teu quero ser,
a todos, com orgulho dizer:
esta é minha pátria!

Busco uma pátria,
pátria, por onde começarei
esta minha penosa busca,
se  luz me falta?

    

*  *  *

39 comentários:

  1. Que lindo, quantos buscam uma Pátria, uma que possa lhe dar guarida, segurança, paz!
    Amei ler amigo poeta Pedro!

    ResponderExcluir
  2. E pelo jeito, faltará luz por muiiiiiiiito tempo ainda! Perfeita, linda, cheia de sentido tua poesia! Adorei! abraços,chica, linda semana!

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo Pedro seu poema lindo mostra como seu coração patriota está apertado e dolorido com nossa pobre Pátria mal amada, escorchada e assaltada.
    Abraços,
    Léah

    ResponderExcluir
  4. Un afflato ed amore per la Patria che ognuno di noi vorrebbe salvaguardare, volerla libera da cattive persone e da nefande intromissioni s'evince da questi magnifici versi. Complimenti Pedro, un caro saluto, Grazia

    ResponderExcluir
  5. Querido amigo, su poema tan sentido es perfecto para convertirse en un clásico, por lo universal.
    Pero no lo dude, su país es un gran país, las etapas difíciles pasan y nos convierten en más listos y más fuertes.


    ResponderExcluir
  6. Pensieri patriottici, espressi in versi originali e di bella lettura...
    Poesia molto apprezzata, un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  7. Buscar una buena patria perfecta y encontrarse bien en ella.
    Un feliz día.

    ResponderExcluir
  8. Talvez a ditos e embriagada pátria brasileira precise dessa luz que o poeta sente faltar em si própria. Quando a pátria se carrega de sombras, a luz necessária pode ser de difícil penetração. Mas a luz surgirá, a partir dos brasileiros em direcção a essa bandeira verde e amarela.
    Belo poema, Pedro.
    xx

    ResponderExcluir
  9. Una patria que guarda el corazón del poeta que siente, ama la paz, la armonía y la belleza...la buscan sus versos en el umbrío sinsentido de la vida que aleja la esperanza y horizontes tranquilos que alimente su alma y puedan sus poemas llegar más allá de las palabras....
    Fuerte abrazo Pedro

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Pedro,seu poema é o grito de muitos brasileiros que hoje, buscam por esta Pátria descrita com maestria por você.Tenho esperança de que algo de bom venha acontecer, para que possamos, falar bem alto com muita emoção, nossa Pátria voltou a ser de Ordem e Progresso.Parabéns! Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Difícil es encontrar una patria que nos de cobijo y seguridad. Un hermoso poema
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  12. Há uma sombra indefinida em nossa Pátria. É importante, porém, constelar de sonho a vigília por essa busca. É juntar vozes nessa busca, Pedro. O poema altaneiro. Gostei imensamente.
    Abr.,

    ResponderExcluir
  13. Buscas uma pátria que também considero minha e tenho esperança que ela se reerguerå. Aqui tivemos o feriado do 25 de Abril, dia da revolução dos cravos que acabou com a ditadura e nos proporcionou uma nova pátria, com liberdade . Passa também por muitas dificuldades este nosso pequenino pais e também com corrupção, mas o maior problema está na crise financeira que tem colocado muita gente sem emprego. Tenhamos esperança, amigo, que o nosso Brasil vai ficar limpo desta grande sujeira. Um abraço e obrigada! Emilia

    ResponderExcluir
  14. Que lindo!
    Suas palavras conseguem nos encher de esperanças. Sim, esperança em um mundo melhor, com pessoas mais humanas.
    Parabéns pelo blog.
    Ciça.

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso!
    E no fundo, penso que todos precisávamos de uma pátria nova... também por aqui!
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Um dia, essa Pátria, será realidade...
    Abraços, Pedro!

    ResponderExcluir
  17. poema emocionante, meu caro amigo.
    um privilégio a sua leitura.

    grato.

    ResponderExcluir
  18. Creio que um dia esta Pátria, tão desejada, se tornmará uma realidade.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  19. Oi amigo, que lindo!!
    Esse é um sonho que todos temos desde sempre ne?
    Tenha uma ótima semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  20. Oi Pedro que maravilhosa poesia.
    Este é um grande sonho Pedro, mas com muita fé será realizado, e ainda vamos nos orgulhar!
    Abraços!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  21. Bello y emocionante poema.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  22. Un bello poema.
    Los sueños algún día se vuelven realidad, todo es cuestión de esperar.
    Abrazos.

    ResponderExcluir
  23. Lindo poema que adorei. Um dia será real essa pátria. Um abraço com carinho

    ResponderExcluir
  24. Boa noite, Pedro.
    Essa sua busca pela Pátria, para mim independente de partido,mas, infelizmente a falta de amor ao País é generalizada.
    Tenho minha preferência partidária, mas sei que todos os partidos precisam passar por uma limpeza, a fim de que, exista, de fato uma digna Pátria, que só se fará com respeito uns aos outros e suas diferenças, não a guerra que vemos pelos pensamentos opostos.
    Venha Pátria livre com paz e amor.
    Parabéns.
    Tenha um excelente final de semana.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  25. Pedro, esse teu poema vem a calhar tão bem e ao mesmo tempo és nosso porta-voz.
    Nesse teu poema sentido, vejo que fomos sonhadores e iludidos. Queríamos uma pátria que pudéssemos nos orgulhar, que nos garantisse um berço para sonhar, que gritássemos ao mundo o nosso orgulho de sermos brasileiros. E nosso sonho perdeu-se na ilusão daqueles que acreditaram, que foram ingênuos. E nos sentimos abandonados, frustrados, magoados.
    Senti no teu poema, um coração livre que falou o que sentiu; o que sentimos. Uma mágoa pela pátria que tanto sonhamos e que escorreu pelos dedos. Estamos todos órfãos de uma pátria mãe que não nos olhou com carinho. Nos abandonou na saúde, na segurança, na educação. E no amor. Que pátria é essa?
    Beijinho daqui do lado.

    ResponderExcluir
  26. Muito belo! Um grito de amor pelo chão onde se nasceu. Um grito de esperança por dias melhores...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  27. Eu quero uma pátria bem. Mas, como não, nós temos que fazer esse país no nosso país com coragem e trabalho duro.
    Grande sentimento em seu poema.
    Um beijo , Pedro.

    ResponderExcluir
  28. MUY DEL ALMA TU TEXTO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  29. Lindo domingo!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  30. Tem a luz da poesia, que já diz tanto!...
    Momento difícil mesmo, Pedro.
    A poesia e ao poeta, o poema sempre ressuscita as palavras
    a um belo caminhar...
    Um domingo de paz, Poeta!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  31. Oi amigo, vim lhe desejar uma ótima semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde Pedro.
    Maravilhoso poema, de um desejo de todos nós, mais infelizmente ficamos só mesmo com a esperança de quem sabe um dia sentirmos em uma nova pátria. O comentário da querida Tais disse tudo o que todos nós sentimos. Uma feliz semana a vocês. Beijos.

    ResponderExcluir
  33. Pátria, já temos...não temos é quem cuide bem dela, infelizmente!

    Que as nossas pátrias rejuvenesçam!

    Bom Maio , Pedro.

    ResponderExcluir
  34. Gostei do seu poema, meu caro!

    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  35. Está difícil encontrar a luz em tudo que diz respeito ao nosso amado Brasil. E nossos olhos ficam nublados diante das esperanças feridas, a cada dia, por novas lâminas. Comungamos seus anseios, Pedro, cantados magistralmente. Abraço.

    ResponderExcluir
  36. Há momentos assim em que procura se torna imperiosa, quando os equívocos se elevam para nos confundir.
    Belo poema.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  37. Olá, Pedro.
    Um grito de misericórdia da própria nação que quer, ela!, ser pátria amada, idolatrada, de encantos mil, que lhos roubaram, uns atrás de outros, desde que levantado foi o manto que a cobria, protegendo-a dos olhares dos algozes.
    Um grito também seu, poeta de coração dorido de tantas guerrilhas sem bala, que atiram acusações de lado para lado que enchem de dúvidas quem não tem a ciência da corrupção - tão difícil de entender sua lógica sem sentido!
    Belo poema, na construção e na força da autenticidade que trespassa-nos como flecha.
    um abç amg

    ResponderExcluir
  38. Dom Pedro gritou e aqui um apelo, um clamor.
    Não parece ser muito, mas sabemos como dói,
    este grito pelo que estragado está, sem muita
    chance de renascer num curto prazo.
    Seu clamor é um hino de uma grande parcela cansada de ver crescer a impunidade, a mentira a locupletação.
    Bom trabalho amigo.
    Abraços

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO