>

11 de jan de 2016

[Filosofia] PEDRO LUSO – Do Favor que se Recebe




[ESPAÇO DA FILOSOFIA]

DO FAVOR QUE SE RECEBE
– PEDRO LUSO DE CARVALHO


Quando alguém dispõe de parte de seu tempo e de parte de sua fortuna para socorrer a quem caiu em desgraça, deverá saber que a gratidão, que nascerá de seu gesto, terá vida efêmera; logo outro sentimento, o ódio, talvez, virá instalar-se na alma de quem recebeu o benefício, por não ter ele meios pecuniários suficientes para saldar dívida tão expressiva.
         

*  *  *


27 comentários:

  1. Pois é, Pedro, desde minha adolescência sempre coloquei a ingratidão como um dos piores defeitos, ela traz consigo o egoísmo, a sordidez, o pouco caso com os outros, a pilantragem, a falsidade.

    Quando pedimos um favor substancial, temos de levar em conta que o outro não tem obrigação nenhuma de se doar, de fazer algo por nós, de dedicar horas em nosso benefício. Conheço muitos que são um saco sem fundo, por mais que se faça, não chega. Desses, só podemos esperar traição. E como acontece! Mas entendo, deve ser duro dever, ainda mais se for uma dívida de solidariedade, de amizade, de reconhecimento, de afetos. São dívidas que não tem preço em moeda; não se paga, apenas se demonstra, se retribui a amizade com o mesmo empenho e carinho que fomos agraciados quando precisamos. Mais nada. Reconhecimento e gratidão são coisas que poucos conhecem. E temos de estar preparados pra isso. Pra esse jogo de interesses a que somos submetidos frequentemente.

    Mandou bem, heim...?
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo! Passei para agradecer a sua visitinha, e não poderia deixar de ler alguns de seus textos e contos... ADORE!
    Com tempo, voltarei para novas visitas... E ler as suas maravilhas!
    Um grande abraço... E seja sempre BEM-VINDO!

    ResponderExcluir
  3. Efigênia Maria.21:13

    Pedro, parabéns por falar tanto em tão poucas palavras.

    Espantou-me a identificação que senti com o que você, sabiamente, diz em "Do favor que se recebe". Fazer favores, por toda a minha vida, tiremos daí os primeiros anos, é claro, tem sido uma atitude simples de executar. Favores são feitos, penso eu, porque me faz bem faze-los e porque não são eles objetos de débitos de outros comigo, são atos isolados e práticos.Ocorre, no entanto, que fazer um favor custou-me muito em dias passados e jamais esquecidos. Perguntaram-me, na época: "O que você espera receber em troca dessa moça?". E eu respondi: "Não pensei nisso, mas ela pode me abraçar, sempre me ser amiga, solidária, só isso." Aí está meu maior erro, não era SÓ ISSO.ISSO, na verdade, era muito para a moça e eu não sabia. O favor me foi devolvido sim, com toda a decepção que marcou-me como jamais pensei, mas não me endureceu a alma. Favores me fazem bem e continuarei a faze-los.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Oi amigo, vim lhe desejar um excelente semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  5. Palavras tamanhas, enormes! Além de tudo isso, muito refletivas!
    Gostei imenso!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Pedro, embora todos valorizemos a gratidão, não podemos esperá-la da forma que imaginamos. É, de fato, efêmera, pois quem recebe a mão passa a se sentir no direito de receber também o braço. Nem por isso, no entanto, podemos passar indiferentes diante das necessidades alheias. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Caro Pedro:
    Gosto muito de ler seus textos e esse não fugiu à regra, achei-o ótimo.
    O que sempre me disseram é fazer o bem sem esperar o reconhecimento do beneficiado, sua recompensa virá através de outra pessoa ou de outra maneira, mas virá.
    Acho que geralmente as pessoas que pedem favores detestam estar nesta situação, na verdade gostariam mesmo de estar na posição de benfeitor, mas isto não é regra geral, existem exceções, aliás Graças a Deus!
    Abraço Léah

    ResponderExcluir
  8. El que los sentimientos que prevalezcan en el beneficiado sea la gratitud, o el odio y la envidia, dependerá de qué lado se incline la balanza de su calidad humana. He conocido a quienes el recuerdo de la ayuda recibida les empuja a comportarse generosamente con los demás, mientras otros sólo se mueven por el interés y jamás ayudarán a nadie. Y mucho menos a quienes les socorrieron a ellos.
    Recuerdos desde el noroeste.

    ResponderExcluir
  9. Pedro..Quantas vezes ao estendermos as mãos a pessoa nos pucha direto
    pro abismo.No entanto temos que ser solidários a recompensa vem de Deus.
    Gostei muito de ler seus postes excelente exemplos a ser seguidos.
    Abraços felicidades sempre.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  10. Oi amigo, vim lhe desejar uma excelente semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente é uma grande verdade a maior parte das vezes a ingratidão impera e quem faz o bem não deve esperar retorno.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Creo que en el alma es donde habitan los sentimientos y muchas veces, no escuchamos lo que ella nos dice y devolvemos mal por bien...

    En mi tierra se dice... QUE EL QUE NO ES AGRADECIDO NO ES BIEN NACIDO, pero las personas tenemos la libertad para hacer lo que queremos-
    Un saludo.
    Ángeles

    ResponderExcluir
  13. Ótimo dia!!!!!!!!! Abraços

    ResponderExcluir
  14. Gosto de Portinari

    Infelizmente, a ingratidão existe, sim


    Bom resto de semana

    ResponderExcluir
  15. é triste se assim for, o texto está escrito de forma muito pessoal, gostei, mas o significado é profundo

    ResponderExcluir
  16. El alma humana es un misterio y nunca reacciona de igual manera ante una misma situación.
    Puede pasar del agradecimiento más absoluto a la ingratitud más tremenda.

    ResponderExcluir
  17. Olá Pedro, infelizmente, o ser humano esquece de quem ontem lhe estendeu a mão.
    Mas não temos que deixar de ser solidários.
    Beijos e luz.
    Amara

    ResponderExcluir
  18. Palavras muito acertadas, Pedro.
    O ser humano é muito complexo e muitas vezes assume atitudes paradoxais.
    Quem recebe um favor, especialmente de grande monta, deveria mostrar gratidão, pura e simples. Mas é vulgar isso não acontecer.
    A ingratidão está na ordem do dia...

    Desejo que o Novo Ano traga dias muito felizes.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  19. A mí no me importa que se olviden de lo que he hecho para ayudar a los demás, lo hago y no pienso en su agradecimiento, actúo sólo pensando en que debo hacerlo y no espero nada a cambio, lo que sí me dolería en el alma, es comprobar que, por haber hecho una buena acción, aún encima me tuviesen odio.
    Aunque llego un poco tarde, no me olvido de agradecer tus letras y felicitación del nuevo año.
    He permanecido ausente de mi espacio unas semanas después de estas fiestas y, ahora que he regresado, no podía pasar sin venir a desearte todo lo mejor en este año que acabamos de comenzar.
    Cariños y buena semana.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  20. Não concordo em absoluto com a opinião expressa no seu texto, pela simples razão que nem todas as pessoas são ingratas.
    E porque, se as coisas fossem assim tão evidentes como sugere, até seria aconselhável nunca ajudar ninguém. E seria por amor, já que se poderia justificar que era para evitar que o não ajudado pecasse por mais tarde sentir ódio pelo benemérito...
    Enfim, a minha opinião vale o que vale, porque nunca tinha pensado ou lido nada nesta perspetiva.
    Pedro, caro amigo, tenha um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Jaime,

      A sua visita e os seus comentários são sempre bem-vindos, como o são os demais amigos e amigas com seus respectivos comentários; estes, na sua grande maioria, manifestaram-se comungando com minha ideia; por outro lado, a minha posição, no que se refere ao texto, deve-se a uma longa experiência no exercício da advocacia, trabalhando com esses sentimentos mesquinhos nas relações de negócio, nos divórcios, nas pensões de alimentos e, principalmente, na abertura de inventários, quando sempre vejo o interesse pela herança vir na frente do sentimento de perda pela pessoa falecida. Sobre esses sentimentos dos herdeiros, escrevi um texto com o título “OS HERDEIROS”, que editei no meu jurídico GAZETA DO DIREITO, que pode ser acessado na “aba” deste espaço (Blog (Veredas).

      Um bom final de semana.
      Grande abraço.

      Excluir
  21. A Verdade Em Poesia, está a tentar visitar a todos os seus seguidores,
    para deixar abraço amigo e agradecer por termos ficado juntos mais um ano,
    desejar também que este ano lhe traga muitas alegrias, e grandes vitórias.
    Atenciosamente. António.
    PS. tive de seguir outra vez porque estava sem foto, ou sem endereço.

    ResponderExcluir
  22. En el fondo lo único importante es la satisfacción con uno mismo, hacer lo que uno piensa que debe hacer sin esperar gratitud por ello. De ese modo los malos sentimientos de los demás nos dañaran menos.
    Saludos

    ResponderExcluir
  23. Oi amigo, vim lhe desejar um excelente final de semana, abraços e fique com Deus!!!

    ResponderExcluir
  24. Boa noite caro amigo Pedro.
    Achei o texto muito bem escrito, com certeza com muitas verdades. Na maioria das vezes quem ajudamos, vamos receber muito mais ingratidão, do que um simples ato de reconhecimento e pior ainda há situações que ajudamos e os próprios ajudados se sente humilhados por ter precisado e ainda nos trai. Mas logico ao estender as nossas mãos, nunca devemos esperar gratidão, mas fazer porque estamos aqui para ajudar uns aos outros sem esperar nenhum tipo de reconhecimento, afinal a verdadeira recompensa é dormir e a nossa consciência está em paz, uma paz que não tenha nada de mais valioso, Saber que fizemos a nossa parte nós da uma grande alegria. Uma feliz semana para vocês. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  25. Bem dizem: Se vai ajudar alguém esperando gratidão, não ajude.
    A maioria dos seres humanos é egoísta e só conhece a lei de Gérson. É por isso que amo tanto os animais...
    Abraço, Pedro, agora vou ver a Taís.

    ResponderExcluir
  26. Amigo Pedro, bem colocada a sua tese aqui sobre gratidão, nem todos sabem agradecer, muito pelo contrário, o fato dessas não puderem retribuir o ato, esse acaba sendo levado como ofensa e desacato, sim, muitos desprezam os que podem e fazem o bem!!!
    Ah, vai se entender o ser humano né mesmo?
    Abraços!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO