>

16 de out de 2016

[crônica] PEDRO LUSO - O passado é logo ali




       [ESPAÇO DA CRÔNICA]
     

        O PASSADO É LOGO ALI
          PEDRO LUSO DE CARVALHO


De que valeu o sacrifício no decorrer desse tempo? – perguntava o homem soturno, para si mesmo. E ainda se questionava: era isso o que a vida tinha para me dar, depois do tanto que fiz, depois de tantas renúncias?
O homem sentia que os caminhos, pelos quais andou, não eram motivo para se envaidecer, mas ter ciência disso de nada lhe servia, agora que já não tem mais o mesmo brilho nos olhos, agora que não tem o ímpeto que tinha para sempre avançar.
Recrimina-se, o homem, por não ter sabido escolher os seus caminhos, por não ter evitado as tantas encruzilhas traiçoeiras; e também pelo sofrimento que causou – tantos foram os seus amores –, deixando rastos de ninhos desfeitos.
O homem lembra-se da infância com saudade, e quer sentir o perfume das macieiras no pomar, amadurecendo; quer ouvir o cântico das águas do riacho correndo entre os arbustos; quer ver a lua no escuro da noite, brilhando entre as árvores.
O homem quer voltar àquele mágico tempo, em que era acolhido pelas árvores, com as quais tinha indestrutíveis laços de amor. Tempo em que o corpo do menino tinha a proteção dos ramos que o cobriam, quando havia sol ou chuva.
Então pressentiu, o homem soturno, que ainda poderia encontrar a salvação, pois tinha visto que o passado é logo ali.


  
     *    *    *



43 comentários:

  1. Olá, Pedro.
    Talvez tenhamos aqui, nesta belíssima crônica da alma arrependida, a mesma divagação tão tocante encontrada em Frost em seu "Caminho recusado" e a verdadeira gêmea em prosa daquele magnífico poema. Que mágica nos permite estar soturnos, alquebrados e, no entanto, ainda ter na infância o alento e o refrigério para nossas erradas escolhas?! Que mágica faz a mente já manchada de erros e malefícios, gozar a benesse de uma saudade pura, plena de lembranças indizíveis?! É a mágica da memória de um passado que está sempre logo ali. Abençoado seja o passado que nos mitiga a sede de nossos presentes desertos.
    Grandioso texto, meu amigo.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, a obra de Robert Frost a que me referi é o poema "Caminho Recusado" (The way not taken). Ele está(esplêndidos original e versão) num precioso trabalho de Jorge Wanderley (Antologia da Nova Poesia Norte-Americana), entre outros poemas muito, muito bons. Recomendo.

    ResponderExcluir
  3. Mas que bom que há lembranças boas no passado. Não há motivo para ser soturno. O presente, da vida adulta, é sempre o maior desafio, o mais difícil. Será que ele ainda não tem tempo de construir boas lembranças para o passado que daqui a pouco vai chegar?
    Um grande abraço e parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  4. grato pasar por acá!!! preciosa prosa!!!
    un abrazo fraterno,gracias por seguir mi blog!
    lidia-la escriba

    ResponderExcluir
  5. Procurar os caminhos da infância para recuperar a inocência do olhar... É a única forma de voltar ao passado sem que ele nos magoe. Porque como escreveu Orwell não há nada mais imprevisível que o passado.
    Uma crónica excelente, Pedro.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. La pregunta del protagonista es tan común…
    Lleva a pensar que para todos, incluso para quien reconozca que su pasado fue poco noble, el retorno a la pureza siempre es posible porque el pasado es inmutable, y como dices, siempre estará ahí para tratar de enmendarlo. Que se llegue o no a tiempo será otra historia.
    Pero el sólo propósito ya tiene su valor.

    ResponderExcluir
  7. O passado está a um fechar de pálpebras...
    Linda crônica.

    ResponderExcluir
  8. olá,
    os caminhos são muitos, o difícil é escolher o certo. Lembrança da infância sempre nos dá uma nostalgia.
    Abraços e boa semana.

    ResponderExcluir
  9. Excelente texto!
    E se o "passado é logo ali", pode-se dizer (por vezes) que o futuro será já além...
    Uma boa semana.
    Abraço
    Rui

    ResponderExcluir
  10. Wonderful pictures accompanied by words that speak sweet as the song of a bird in the morning of October ...

    ResponderExcluir
  11. Um texto que remete à infância e trouxe-me lembranças de quando eu era menino.
    Gostei muito...
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Pedro.
    Uma excelente cronica. Sempre costumo dizer o hoje sera o nosso futuro amanhá e para que não aja arrependimento no futuro, devemos viver intensamente o hoje, não deixando nada inacabado. O passado é logo ali. Mas as pessoas vão tomando rumos diferente, e nem sempre se pode voltar ao passado e fazer diferente. Gostei meu amigo de ler a sua cronica, me vez voltar um pouco do meu passado, que bom que foi sem arrependimentos de algo mal aproveitado rsrs. Uma linda semana para vocês. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  13. Ricordi che portano a ritroso nel tempo della fanciullezza, che, per buona parte di noi, è stato il periodo perfetto. Ma dal nostro passato deriva il nostro presente, e da esso ci avvieremo, consapevolmente, verso il nostro futuro. Una bella riflessione che ho molto gradito. Un caro saluto amico Pedro, Grazia

    ResponderExcluir
  14. El hombre debería pensar que en el pasado tuvo que decidir y decidió. De todos modos, el pasado ya no se puede cambiar. Es mejor poder seguir tomando decisiones.
    Salu2 y abraços, Pedro.

    ResponderExcluir
  15. É muito bom, quando se chega a uma certa idade, poder dizer: " ainda há salvação pois o passado e logo ali " , porque isso significa que o corpo está a ficar mais fragikizado, mas a mente continua a poder pensar.. Muitas pessoas, com a idade ficam soturnas, absortas em pensamentos como estes e acho isso natural. O caminho foi longo, com muitas encruzilhadas e muitas escolhas a fazer;
    estas, por várias circunstâncias, nem sempre foram as correctas, umas vezes porque não
    soubemos fazer melhor, outras porque a vida não permitiu. Sempre dizemos que temos de viver a
    vida, dia a dia aproveitando o melhor dela e, a propósito disso vou falar um pouco do meu pai; foi um
    taxista de aldeia aqui em Portugal, mas na medida do possivel viveu bem e passeou. Depois
    quefomos para o Brasil as ccondições financeiras melhoraram muito e ele e a minha mãe viajaram
    muito, fizeram vários cruzeiros e todos os anos vinham a Portugal e algumas delas de navio, Hoje, o
    meu pai está com demência, há mais ou menos três anos. Vive o mundinho dele, sem sair de casa
    , muitas vezes não conhecendo os netos. Ele nem lembra o passado, nem pode dizer: estou vivo,
    afinal o passado é logo ali" A minha mãe, felizmente pode e ainda há dias me disse pelo telefone: "
    gostava muito de voltar a Portugal, mas o teu pai não pode e eu sozinha não vou ; mas não faz mal

    pois viajei muito com ele..." por isso, Pedro, felizes daqueles que podem dizer " o passado está logo ali.." Sempre digo a minha mãe " vá visitar as suas amigas, vá a casa dos seus netos, mesmo que tenha de usar cadeira de rodas; enquanto a sua cabecinha estiver lúcida, vá! Ontem a minha sobrinha fez aniversário e fiquei feliz por ela ter ido a casa dela participar da festa; custou-lhe deixar o meu pai com as enfermeiras, mas foi.

    ResponderExcluir
  16. Continuando...desculpa, mas houve aqui um problema..

    E assim é o processo da idade que avança e cujos efeitos diferem muito. A minha mãe esteve muito mal o ano passado, esteve em coma e ninguém achava que sobrevivesse; estive no Brail 3 meses e ao mesmo tempo que via o meu pai a definhar mentalmente( fisicamente evoluiu alguma coisa, apesar do 3o AVC ) via a mãe a melhorar significativamente; hoje está como era antes desse periodo e já com vontade de tratar do jardim e outros pequeninos prazeres. Pedro, obrigada pela crónica tão pertinente e que nos leva a pensar no nosso caminho daqui para a frente. Não vale a pena pensar muito, porque a vida tem um poder contra o qual nada podemos. Devemos sorrir, agradecer e não reclamar, mas o que nos espera é uma incógnita. O certo é só este instante. Um beijinho, amigo!
    Emilia

    ResponderExcluir
  17. El pasado con la infancia que suele ser idílica, siempre nos acompaña en la sombra a lo largo de la vida, y solo en el presente y en el futuro, volvemos a estar vivos. De ahí que hay que aprovechar la vida.
    Magnífico texto.
    Saludos

    ResponderExcluir
  18. Olá Pedro,começo pela ilustração, que por si, é uma viagem ao passado pelos caminhos de casa da minha vó num canto de roça das Minas Gerais, é lá que mora grande parte de meu passado, ali depois da curva onde o rio intercepta aquele longo caminho de terra. Um tempo de feliz idade.E por assim dizer penso que tive uma infância adolescência perfeita sem queimar esta fase. Hoje olhar este passado não causa um querer retorno, deixo um sorriso e prossigo com este menino à tiracolo a me sustentar pela jornada.
    Bela esta cronica que este chamado para que se viva cada etapa em sua plenitude pois o amanhã é distante e o passado não ficou muito mais longe.
    Meu terno abraço na boa semana.
    Grato pela apresentação do Laerte.

    ResponderExcluir
  19. Un paseo en el pasado y disfrutar mientras tanto del otoño con sus preciosos arboles.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  20. Boa Tarde Pedro
    Eis a crónica dum regresso ao passado, uma construção literária através de metáforas a trazer o leitor suspenso.
    Veja e comente o post
    Capitania do Ceará
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    BRASIL: SORRISO DE DEUS.
    Abraço

    ResponderExcluir
  21. OI PEDRO!
    QUE LINDO! O MOMENTO EM QUE O HOMEM SE DÁ CONTA DE QUE O QUE TEM DE MELHOR ESTÁ DENTRO DE SI, PRINCIPALMENTE AS PRÓPRIAS RECORDAÇÕES E QUE "O PASSADO É LOGO ALI...
    GRATA AMIGO, PELA INDICAÇÃO DE MEU BLOG AO SILO, QUE JÁ ME VISITOU E AO QUAL PUDE CONHECER. DEIXO AQUI MEUS AGRADECIMENTOS POR TUA GENEROSIDADE.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Enquanto a mente funcionar bem, podemos até sentir o aroma das macieiras
    e da pureza do nosso tempo infantil...
    Gostei muito de texto, Pedro.
    Abraço, amigo.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria dizer, 'gostei muito do seu texto, Pedro.'

      Excluir
  23. O passado foi ontem e não vale a pena "chorarmos" por não termos tomado algumas decisões, isso faz parte da vida e há que viver o presente o melhor que podermos.
    Um belo texto meu amigo, gostei bastante.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  24. É meu amigo, é o que diz o povo - recordar é viver! Todos nós temos uma criança dentro da gente. De vez em quando eu surpreendo a criança ou é ela que me flagra taciturno e dá-me um puxão de orelha, a levar-me para a roda das cirandas em busca do antigo amor, da antiga menina que eu puxava suas transas. Daí vem-me a dúvida: mas quem é que puxava, eu velho ou ela, a criança que eu era? Então faço um acordo comigo mesmo, e me xingo: nós somos um só, oh imbecil! Porém aquele pensamento já me deu uma sensação de eternidade. E isso é vida, é viver. Ou reviver?... Meu abraço e agradecimentos por tudo que desagua em citações como a de Zilani Célia acima. Laerte (Silo).

    ResponderExcluir
  25. Pois então caro Pedro, nem tudo estava perdido. Aliás, o passado é um bom lugar, desde que não nos esqueçamos do presente.
    Conto muito bom. Um abraço. Tenhas um bom dia.

    ResponderExcluir
  26. Creio que o ideal é viver bem o presente, mas nada impede que se faça, vez por outra, um passeio ao passado, desde que se vá ao
    encontro de doces momentos.
    Um abrasço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  27. El pasado siempre nos acompaña y nos envuelve, hacer de él un buen compañero de camino depende en gran medida de nosotros. No hay duda de que en el presente siempre hay huellas del pasado.
    Un abrazo Pedro

    ResponderExcluir
  28. Oi Pedro...dizer o quê diante de tantos testemunhos maravilhosos. Assino embaixo de todos eles pois representam uma experiência única e ao mesmo tempo universal.
    Enquanto buscamos o futuro e o tempo passa o passado vai ficando cada vez mais perto e mais presente em nossa alma.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  29. Yo, siempre recuerdo los jazmines 774, donde el perfume y el color de las flores nos iluminaban, donde mi papá estaba vivo y eramos una familia tan, pero tan feliz.
    Un abrazo enorme y nostálgico.
    Muy lindo post.
    mar

    ResponderExcluir
  30. Cabe una reflexión:
    Nada sacamos con "llorar sobre la leche derramada". Solamente el futuro podrá redimirnos.

    Saludos australes.

    ResponderExcluir
  31. gostei muito do texto e concordo, o passado é logo ali, para quê remoer passado...se já passou...

    beijinho

    :)

    ResponderExcluir
  32. Sim, o passado é logo ali, mas o que se fez já não pode ser desfeito, fica o que aprendemos com as nossas escolhas, boas ou más e fica também guardado na memória o tempo magico da nossa infância.
    Excelente texto.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  33. Acho que é grandioso chegar a uma fase da vida e admitir que se falhou e que as memórias do passado são a salvação para o futuro.

    Amigo Pedro foi assim que interpretei o seu excelente texto.

    Um beijinho grato

    ResponderExcluir
  34. El pasado, nunca se va, siempre está.
    Bello pots.
    Besitos

    ResponderExcluir
  35. Yo soy de las que opino que, el pasado, nunca podrá volver, lo llevamos en el recuerdo y gracias a él, formamos nuestra experiencia que nos puede ser muy beneficiosa para enmendar acciones de las cuales nos hemos arrepentido.
    Si yo pudiese volver al pasado y no fuese una quimera...
    Gracias, me has hecho reflexionar.
    Cariños y buen fin de semana.
    Kasioles

    ResponderExcluir
  36. Mi piace davvero tanto Pedro, grazie per essere passato
    un bacio

    ResponderExcluir
  37. Yo creo que el pasado nunca se va de nosotros, siempre pensamos en el ayer. ¿Quién no recuerda a sus abuelos? También a gentes que ya no están, paisajes que recuerdas o momentos vividos en otros tiempos.
    Querido Pedro, tus letras siempre nos hacen pensar, me encantan.
    Un abrazo desde el lluvioso Madrid.

    ResponderExcluir
  38. Olá Pedro

    Composição incrível da imagem com o texto. E que nos remete a grandes momentos.
    Adoro ler teus textos!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  39. Olá, Pedro
    O passado... é passado, nada o poderá fazer voltar, nem ninguém o pode alterar.
    Contudo... a todo o tempo é tempo de recomeçar.
    E se esse recomeço for feito de modo a evitar os erros do passado e com os olhos postos no futuro, tendo em mente não voltar a cometer nada de que nos venhamos a arrepender... então, sigamos em frente!

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  40. Linda semana!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  41. Não havendo forma de remediar o passado... está-se sempre a tempo de corrigir o presente... o que poderá propiciar um futuro diferente...
    Toda a hora... é hora... de poder fazer essa opção... pelo que valera a pena reflectir...
    Abraço! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  42. As vezes é preciso regressar a casa de nossa infância e dali alçar novos voos, quem sabe, mais felizes.

    Na minha opinião, uma das suas melhores crônicas. Gostei muito.
    Beijo.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO