>

19 de fev de 2014

[Crônica] PEDRO LUSO – Perigo nas estradas



  
    
  PERIGO NAS ESTRADAS
   – PEDRO LUSO DE CARVALHO


Há anos lamentamos pela condição degradante de nossas estradas (exceção há, aqui e ali). Estradas duplicadas são necessárias para o número elevado de veículos, que são vendidos todos os dias.
Aqui, no Rio Grande do Sul, um carro é vendido a cada trinta e nove minutos. Os cinco milhões de veículos registrados é um número muito elevado para os onze milhões de habitantes, que somos. (Temos para cada duas pessoas, um carro.)
Com esse número de veículos, precisamos de estradas de mão dupla e de permanente cuidado para que não se deteriorem. Assim, vidas serão poupadas e o Sistema Único de Saúde deixará de ficar sobrecarregado com o atendimento de muitas vítimas.
Todos lucrarão com boas rodovias, não importa se andam de carro próprio ou de ônibus. E os que não usam nenhuma dessas espécies de veículos poderão continuar vivendo com seus familiares, sem riscos de acidentes, como vem ocorrendo.
  Ainda temos esperança de que o Planalto tome a iniciativa de construir estradas apropriadas para tantos carros, caminhões e motos. Esse Governo não pode queixar-se do dinheiro que entra em seus cofres, vindos dos impostos gerados pela indústria automobilística. Então, mãos à obra! 


*  *  *


4 comentários:

  1. Caro amigo blogueiro,
    parabéns pela sua crônica: ela é inteligente e muito pertinente.
    Coisa de gente especial..............rs
    sds
    Fábio Stoer

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por compartilhar seu conhecimento ...) enviar amor e luz.

    ResponderExcluir
  3. Passei para conhecer o espaço do nobre colega. Vi, gostei, permanecerei.

    att.

    ResponderExcluir
  4. Alertaste para um ponto importante de nossa estrutura viária. É interessante que, no Nordeste, foi o Exército que se encarregou de abrir e preparar todas as vias, na ligação entre Natal e Maceió. Tendo sido usados os militares, que nada a mais ganharam com isso, imagina-se que a poupança foi considerável. Onde foi parar nosso Exército! Mas penso que também há que se investir em todas as facetas dessa estrutura. São Paulo possui algumas das melhores estradas do país, mas teve que investir em câmeras fiscalizadoras, porque, sendo as estradas boas demais, dirigia-se a 160, 190 por hora... Mão única ou dupla, os caminhoneiros dormem ao volante e os embriagados pululam por todo país, matando e morrendo. Cobra-se o empenho de muitas áreas. Enquanto isso, nós aguardamos e torcemos, cada vez que viajamos. Abraço.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO