>

2 de out de 2016

[Crônica] PEDRO LUSO – A tábua de salvação





A TÁBUA DE SALVAÇÃO
      – PEDRO LUSO DE CARVALHO

Há poucos dias, ainda no inverno, minha mulher feriu levemente sua mão, quando esculpia uma estátua de madeira. Foi um descuido seu, mas aconteceu. Isso se deu num domingo, após o almoço, dia em que a responsável pelos trabalhos domésticos tira a sua folga. Então, ficou no ar a pergunta: quem lavará a louça?
Estavam amontoados na pia, para serem lavados, pratos, talheres, copos e três panelas. Eu fiquei ali, parado, feito estátua, sem me dar conta da presença da Taís na cozinha, que, sem nada dizer, colocou sobre meu ombro um pano de prato e saiu. Levei alguns minutos para assimilar aquele gesto, e as suas consequências.
Não tinha mais dúvida, caberia a mim lavar tudo o que sujamos depois do almoço feito pela Taís. Tirei logo dos ombros o pano de prato e dei início ao trabalho. Fiz alguns cálculos antes, e decidi que começaria lavando os pratos, depois os talhares e os copos, deixando para o final as panelas. Mas, antes de começar, fechei a porta.
Não tive muita dificuldade em lavar os pratos, embora grandes, apenas deixei respingar muita água sobre a mesa da pia e embaixo, no piso. Os talheres e os copos também não me deram muito trabalho. Deu-se o mesmo com a panela de inox menor, na qual foi cozido o arroz, que apenas exigiu um pouco de esforço.
Descansei um pouco, ali na cozinha, e lavei outra panela, a das verduras, de tamanho médio, que exigiu um pouco mais de esforço. Agora tinha a panela dos bifes para lavar. Esta era quase uma ameaça para mim. Essa panela dos bifes estava suja demais. Mas, como já tinha lavado a maior parte da louça, não seria agora que desistiria.
Aproximei-me do fogão, meio sestroso, para pegar a panela dos bifes, que era muito grande. Fiz um pouco de força para levá-la até a pia, mas consegui. Foi nesse momento que senti que já estava muito cansado. Agora a panela grande estava ali, na minha frente, no fundo da pia. Parei um pouco mais, fiquei olhando a panela e pensando.
Não tive dúvida, eu tinha que dar algum jeito naquela panela, pois não tinha mais resistência para lavá-la. Em dado momento senti-me perdido, a ponto de chegar a pensar em pedir a ajuda à vizinha. Pensando melhor, desisti da ideia. O que pensaria a minha vizinha se tivesse pedido a ela para lavar aquela panela?
Quando me dei conta que delirava, sentei um pouco, de costas para a pia. Respirei fundo para ficar mais calmo, e, quem sabe, tentar terminar o serviço. Sabia que com um pouco de força de vontade conseguiria limpar toda aquela densa graxa grudada no fundo da grande panela de aço inoxidável, que estava escura pelo calor.
Portanto, era minha intenção lavar a maldita panela, mas depois compreendi que devia dar um tempo. Retirei do armário da cozinha um litro de licor, e tomei alguns goles. Quando já estava pronto para o decisivo enfrentamento, vi uma luz no fundo da panela: a mulher do zelador. (por que não havia pensado nela?).
Telefonei para o zelador do prédio, que logo veio ao meu apartamento. Expliquei-lhe que tinha comigo uma panela para ser lavada. “Não se preocupe, minha mulher lava”, disse-me. No dia seguinte Taís então ficou sabendo dessa história pela mulher do zelador, quando ela devolveu a panela limpa, em estado de nova.



    *   *   *


36 comentários:

  1. rsssssssssss....

    Imagino a cara da Taís!

    Sabes que acho que estás precisando´praticar, pra não cansar...

    Quem sabe de agora em diante tu assumes tal tarefa?rs

    Fica a sugestão e Taís vai adorar( ou não)...Pois deves fazer uma churumela no chão, molhar tudo e fica pior o que antes,rs...

    Legal sempre te ler! abraços, chica

    ResponderExcluir
  2. Pedro este recado é para a Tais peça uma lava-louças, ou mande-o treinar na cozinha. Imagine o drama! lavar uma panela!
    Pedro pior que lavar uma panela é ter que escolher um político para votar. kkkkk.
    Desculpe a brincadeira mas adorei o post, fez-me rir muito.
    bjs. Léah

    ResponderExcluir
  3. Realmente, ainda bem que apareceu a "tábua de salvação", é como eu sempre digo, a Vida sempre providencia,rsrs!
    Que bom, amei ler, abraços amigo Pedro, espero que a Tais já esteja com a mão curada!

    ResponderExcluir
  4. rsss Cruzes! Mas tu conseguiste fazer de uma panela uma crônica!
    Mas que bagunça... Que coisa interessante são os homens numa cozinha: muitos homens ficam transtornados com louças! E ainda pediu socorro pra mulher do zelador, rss que loucura.

    Lavar umas panelinhas, torna-se algo filosofal quando atribuído ao chamado sexo forte! Mas com o passar do tempo, pude constatar que isso tudo ocorre porque os homens não são detalhistas; a louça fica limpa e a bancada e o chão ficam sujos! Mas sou justa, quando não posso, te elejo meu braço direito - não te tirarei desse posto.
    Beijinho daqui do gabinete do lado! Adorei, rss

    ResponderExcluir
  5. Seria tão bom almoçar sem pensar na louça para lavar... decididamente ninguém merece uma pia cheia de panelas e louças e principalmente a vilã frigideira engordurada...já que o marido percebeu o quanto é desagradável a tarefa porque não ser solidário e ajudar sempre na tarefa...em dupla é mais fácil e mais rápido e sobra o tempo para coisas mais amenas. Fica aqui minha sugestão.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Meu caro amigo, Pedro. Esta é de homem... Imagine como é que a Taís lava sempre a loiça sem se intimidar com as panelas mais sujas... Gostei do texto, amigo.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. No me gusta fregar "panelas" pero reconozco que las dejo "em estado de nova". No me gusta que se queden negras por el lado externo.
    Muitos abraços.

    ResponderExcluir
  8. Pois é meu irmão: diz o ditado popular que toda mulher precisa de terapia. Aqui em casa quem precisa de terapia sou eu - ter a pia e ter o fogão também, e a mulher na retaguarda a comandar o espetáculo. Brincadeira tem hora... Abraços e votos de pronta recuperação à mão cinzelada da discípula de Fídias, o mestre.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Pedro
    Tu consegue transformar um fato corriqueiro numa crônica espetacular
    E a vida sempre nos agracia com tábua de salvação
    E o melhor... panela limpa sem esforço kkkk
    Adorei a crônica
    Uma excelente semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Gli uomini non sono bravi nelle faccende domestiche, poi aborriscono lavare piatti e pentole. Pensate alle donne che questo lavoro ,insieme ad altri della casa, lo devono sbrigare ogni giorno. Un racconto, molto divertenete, di un'incombenza della vita quotidiana che ogni tanto tocca agli . Un caro saluto Pedro, Grazia

    ResponderExcluir
  11. Olá, Pedro.
    Bem divertida essa crônica. rsrs

    ResponderExcluir
  12. Nunca pensai que lavar as panelas na cozinha daria uma bela Ccrônica...
    Lavando de vez em quando um dia conseguirás fazer com facilidade.
    Um abraço. Élys.

    ResponderExcluir
  13. Piacevolissima la lettura di questo racconto che si sofferma su
    situazioni della vita quotidiana...
    Un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  14. Pedro, uma panela e tanto, não?...
    e ainda sobrou para outra crónica, aposto!

    mas essa não vai contar, enfim julgo...

    (diverti-me)

    abraço



    ResponderExcluir
  15. Pedro, a sua crónica está muito interessante e hilária.
    Uma prova de que para tudo é preciso conhecimento, técnica e prática...
    Para a próxima, Pedro, não pode esquecer a bancada e o pavimento. Rrsss
    É muito saudável brincarmos com os nossos defeitos ou limitações e partilharmos o humor de situações embaraçosas com os amigos.
    ~~~ Abraço risonho ~~~

    ResponderExcluir
  16. Me ri ,e gosto de quem me faz rir com inteligência.

    Saudações cordiais, Pedro

    ResponderExcluir
  17. Ya ves Pedro, con un poco de voluntad y esfuerzo, se hace cualquier trajo, es bueno saber hacer de todo, puesto que saber no ocupa lugar alguno, no se compra ni se vende y nos puede servir en un momento dado, como te pasó a ti que has fregado los platos y panelas igualmente que una mujer. Una anécdota, una experiencia más en tu vida. Felicidades.

    Ha sido un placer leer tu lindo relato.
    Te dejo mi gratitud y estima, un abrazo y se muy -muy feliz.

    ResponderExcluir
  18. Não acredito!!!! Pedir à mulher do zelador p lavar a panela??? Bem... o meu marido deixava-a de molho para depois eu lavar. Mas, confesso, prefiro lavar um montão de louça a cozinhar. Para a próxima diz-me que dou aí um saltinho e lavo tudo, certo? Fizeste-me rir,Pedro. Beijinho
    Emilia

    ResponderExcluir
  19. Nada peor que lavar platos sisisi lavar ollas pegadas, prefiero comer algo más sencillo y menos trabajoso, por ejemplo una rica y sana ensalada jajajaaj.
    Cariños y muy entretenido tu post.
    mar

    ResponderExcluir
  20. Pedro
    Para criar uma crónica, nada como imaginar viver o assunto, ou vivê-lo mesmo. Aqui há mesmo poder de imaginação nota-se e gosta-se.
    Abraço

    ResponderExcluir
  21. ¡Qué gracioso! El inventor del lavavajillas es seguro que fue algún caballero al que le tocaba lavar los platos cuando no podía hacerlo su mujer o el servicio...Y fue, sin duda, un gran invento.

    los platos uno a uno,
    se apilaan engrasados,
    las ollas con sus panzas
    son un desafío
    y, por si fuera poco,
    el grifo estaba flojo
    salpicó la encimera,
    el suelo, los colgantes...
    hasta que al fin, el frigo implora
    ¡que se cierre ese grifo!

    ¡No es tarea de hombres
    dirían en mis tiempos, las mujeres!
    Han cambiado los tiempos
    y no piensan lo mismo las mujeres.

    Todo es una broma, igual que la entrada que nos has ofrecido hoy. De verdad, ha sido muy graciosa la descripción de los apuros de un hombre en la cocina.

    ResponderExcluir
  22. Grande Pedro esta foi boa.
    Engraçado que venho lá da Taís com uma cronica sobre fofoquinhas onde morri de rir e encontro voce acabrunhado numa cozinha lavado no licor diante de uma panela engordurada, faz me rir amigo. mas vejo que voce tinha uma carta na manga para uma jogada perfeita e vitoriosa.
    Muito boa com humor sua cronica na salvação.
    Amei esta tela ilustrativa.
    Um abração amigo e bom fim de semana com paz e alegria e que no fim de semana não invente almoçar em casa,kkk.

    ResponderExcluir
  23. Não ter partido nenhum prato já foi uma sorte hehe.
    Um abraço e bom fim-de-semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  24. Me ha gustado tu frase “antes empezar, cerré la puerta”. Por encima de todo, dignidad.
    La primera impresión al leerte puede ser cómica. Pero no. Porque nadie nace enseñado ni existe el hombre o mujer cúbico, que sepa todo de todo.
    El tiempo de la vida es sólo uno y cada cual aprende en ella una serie de cosas. Uno podrá saberse todas las leyes pero ser incapaz de coser un botón de cuatro agujeros. Cocinar la complejidad de una paella y quedarse mudo al tener que hablar en público. O saber qué piezas de la cocina deberán dejarse en remojo antes de lavarlas.

    Un saludo para los dos y deseo que tu esposa ya esté bien del accidente

    ResponderExcluir
  25. Comprendo tu "drama" en la cocina Pedro. A mí también me resulta una zona poco favorable. Afortunadamente tu tienes por lo general a Taís y yo a María Teresa, sin que de vez en cuando una ayuda externa sea muy bienvenida.

    ResponderExcluir
  26. ✿゚ه° ·.
    Uma história bem humorada com um desfecho absurdo!!!
    É tão fácil lavar uma enorme panela engordurada!... rssssssss

    Bom fim de semana!
    Beijinhos.✿゚ه

    ResponderExcluir
  27. Meu caro Pedro Luso,
    Gosto de suas crônicas sucintas, objetivas, bem escritas. Esta é um delas. Aproveito este comentário para informar que tenho mais dois blogs, a sua disposição. Se acessá-los faço um registro, mesmo que resumido em uma palavra ou duas, com sua assinatura. Linkes para meus blogs: http://cirandinhapiaui.blogspot.com e abodegadocamelo.blogspot.com
    Abraços
    francisco miguel de moura

    ResponderExcluir
  28. Uma crônica bem humorada e que gostei muito de ler. Eu também não gosto de lavar panelas.:)

    ResponderExcluir
  29. Pedro,

    Uma excelente crônica com um senso de humor maravilhoso,
    que proporciona uma leitura muito divertida!
    O seu talento literário salvando a falta de talento com a
    tarefa doméstica...
    Um ótimo domingo para você e Taís!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  30. Bom dia, Pedro. Eu tive de rir lendo sua crônica.
    Como pode assustar-se com simples louça a ser lavada?
    Ela olhou para ti com olhar desafiante,rs.
    Dividir tarefas é bom,logo estará organizado e dominando essa tarefa.
    Creio que a Tais irá amar,rs.
    Adorei a criatividade!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  31. Hehehehehe! Uma história com final feliz... para você... perante tão inesperada tarefa...
    E não se ter quebrado nada... já foi muito bom!...
    Se alguma vez acontecer novamente... a situação de ter de lavar a loiça, Pedro... começam-se sempre pelos copos... só depois pratos, talheres e panelas... fica a dica... contribuindo para ajudar e me solidarizar... perante tão hercúlea... mas rotineira tarefa de todos os dias... :-D
    Adorei a crónica super bem humorada!
    Abraço! Bom domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  32. Bom dia Pedro.
    Em primeiro lugar espero que que Tais já esteja recuperada, não para usar as mãos para lavar prato rsrs, ferimento nas mãos tem que ser bem cuidado, nada como um més sem pratos, panelas para lavar rsrs. Você não concorda comigo Pedro ? rsrrs. Agora falando serio acho que o casal consegue de coisas do dia a dia fazer cronicas tão boas que é impossível não da risadas. Pedro eu lhe entendo, apesar de ser mulher eu não suporto lavar pratos, pior panelas. Quando vejo a pia suja, cheia de loucas, chego a ficar triste. E você como Homem e pelo relatado desacostumado desse serviço, deve te sido uma batalha rsrs, mas vejo que deu um jeitinho, para deixar ate a panela grande limpa. Mas vou lhe confessar que se estivesse no lugar da Tais recebendo a panela na mão da esposa do zelador, não iria gostar muito, só de imaginar a situaçao, é impossível não da risada rsrs. Agora eu vou lhe contar o que faço quando isso acontece comigo, escondo a panela, o pior é quando esqueço de colocar na pia na segunda- feira. Nesse caso não tem só uma panela suja de alimento, mas podre pelos dias que ficou suja e em ambiente fechado rsrs. Um lindo domingo para vocês. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  33. Abençoado domingo!!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  34. Homem, né? :P
    Uma panelinha assusta logo! Imagine se fosse a loiça de um almoço de família alargada!! :)

    (Se eu fosse Taís, inventava um acidente de vez em quando, só pra ver como resolvia!)

    ResponderExcluir
  35. Panelas... Lembra-me que deliciar-se com um bom bife ao ponto, fritas, salada, um bom vinho não é coisa a que mortal resista. Esquecera-me das panelas, todo esse tempo de minha vida, ingrato que sou. Sim, é nelas que se douram os bifes e as cebolas e mais um final de pimentões, champignons e azeitonas pretas! Talvez, flambados... Digo-te, é de esperar-se de ti que presenteies essa mulher. Uma lixa te mostrou mais este aspecto de cuidados imprescindíveis com que ela te cerca. Belo escrito. Abraço.

    ResponderExcluir
  36. bem, eu nem sei se foi realidade ou ficção, mas que acabei esta crónica
    a rir às gargalhadas isso acabei.
    muito bem humorada.
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO