>

10 de abr de 2016

[Poesia] PEDRO LUSO – Os meus fantasmas



[ESPAÇO DA POESIA]

OS MEUS FANTASMAS
– PEDRO LUSO DE CARVALHO


No telhado, a chuva batuca
e dança com pés alados
na fenda da noite.

Não dormirei,
fantasmas aninham-se em minha mente.

Mas os enfrentarei,
não me assustam ameaças e artimanhas.

Quanto a ideal e sonho,
não serei acusado
de frustrá-los.

Mas ainda ouço
burburinho dos fantasmas enlouquecidos.

O dia vencerá a noite,
a chuva verá secar todas as suas lágrimas.

Amanhece! Na casa sonolenta,
raios de luz penetram
através da vidraça.


*  *  *



48 comentários:

  1. Es así, Pedro. No lo olvidemos cuando las sombras quieren reinar en nuestra alma intentando estrujarla y nos parece imposible remontar la pena. Sus versos están en lo cierto.
    El día siempre gana a la noche.
    Saludos.

    ResponderExcluir
  2. Fantasmas podem à noite aparecer e se dissipam na luz do amanhecer...

    Que lindo,Pedro! abraços, ótimo domingo,chica

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Pedro.
    A noite parece chamar fantasmas. Os ruídos intensificam-se,as sombras agigantam-se, as culpas falam, os medos galopam.
    Haja coragem para enfrentá-los e deixar que o sonho perdure, mesmo e apesar...
    Muito bonito o seu poema e que sugere várias interpretações e dúvidas de quais serão "os fantasmas" que o terão inspirado ;)
    Na nossa sociedade actual, tantos se acotovelam, a pedir passagem.
    Que amanheça depressa.

    * Apropriada a escolha da tela para ilustrar este poema.

    bom domingo,
    abç amg

    ResponderExcluir
  4. Sempre creativi, e molto originali i tuoi splendidi versi...
    Buon inizio di settimana e un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Pedro.
    Um belo poema, todos nós temos os nossos fantasma, mas o dia vence a noite, e a luz vence a escuridão, e os sonhos superaram as frustrações. Meu amigo tem um premio dardos para você no meu blog. Um lindo domingo para vocês. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Siempre es un placer leer tus versos, un buen domingo.

    ResponderExcluir
  7. E que alívio que penetrem. Seu poema é excelente. Gostei muito.
    Abraço e bom domingo*

    ResponderExcluir
  8. Olá Pedro.
    Sempre acreditei que os fantasmas assombram aos que se deixam se rodear por eles. Ainda que sejam apenas os fantasmas da alma.

    Sempre muito rica a tua escrita.
    Belíssimo!!!

    Linda semana pra ti!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Amigo Pedro, há sem um fantasma ou outro dentro de nós. É preciso afastá-los. A luz que venha, assim dissipam-se na claridade.Um abraço com carinho

    ResponderExcluir
  10. ´Lindo domingo!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Poeta Pedro, me ha gustado mucho pasar por tu blog y leer tus versos
    Un abrazo
    Carmen

    ResponderExcluir
  12. Oi amiga,
    desculpe pela ausência, ando sem tempo para o blog, mas aos poucos venho retribuir o carinho! ♥
    Lhe desejo uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  13. Fantasmas noturnos... com trilha sonora de chuva no telhado... realmente cenário perfeito para aconchego da insônia! Felizmente há sempre um amanhecer, novas perspectivas de higienização mental.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Bonito post!
    Uma boa semana!
    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Os nossos fantasmas. Aqueles que criam as sombras em nosso olhar. Belo poema.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Ognuno di noi abbiamo i nostri fantasmi che si presentano più assiduamente nella notte, ma con coraggio dobbiamo cercare di affrontarli. Una bella poesia piena di sentimento. Il mio plauso!

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito dessa imagem da chuva a dançar "com pés alados na fenda da noite". Uma imagem forte onde os fantasmas fazem ninho não permitindo o sono. Apesar da resiliência quanto ao ideal, os fantasmas incomodam, contudo o dia sempre se seguirá à noite, o amanhecer triunfará na luz de um novo dia.
    Um belo poema sobre a esperança que não pode morrer.
    Muito belo, Pedro!
    Boa semana.
    xx

    ResponderExcluir
  18. Os fantasmas sempre aparecem. Assim como vem, vão!
    Abraços, ótima semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  19. Hay un rayo de sol en la lucha, que siempre deja la sombre vencida. Es un fragmento de un poema de Miguel Hernandez y creo que viene a decir lo mismo que tú. Me gusta el sentido de tu poema.
    Recibe un abrazo.

    ResponderExcluir
  20. Muy bellos siempre tus versos. Escribes muy bien.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  21. O bater da chuva no telhado inspirando os fantasmas da insônia, mas um novo dia surge, o Sol brilha e assim se cria uma bela poesia.
    Um abraço.
    èlys

    ResponderExcluir
  22. Sem tê-los, como sabê-lo?
    Os meus acenam de longe com um quê bem sorrateiro. Nunca me fizeram refém. Porque sou esperto: mantenho-os bem longe.
    Um abraço, Pedro!

    ResponderExcluir
  23. Pedro
    fantasmas que teimam em marcar presença nas insônias e principalmente em noites de chuvas, e que contamos que desapareçam quando o sol brilhar.
    Realmente és um poeta Maior, lindos versos,ótimas analogias.
    Maravilha!
    beijos.
    Léah

    ResponderExcluir
  24. Os fantasmas não impedem que a alvorada chegue. Assim, a disposição de vencê-los e manter sonhos e ideais torna-se fundamental, pois se sabe que partirão após o fim da noite insone. Grandiosos versos, Pedro. Abraço.

    ResponderExcluir
  25. Un abrazo amigo Pedro. Que tengas una buena semana

    ResponderExcluir
  26. O seu excelente e belo Poema evoca os barulhos externos e internos.
    Passeiam as belas metáforas no encantamento do todo poema.

    Sempre em harmonia a excelência do Poema e imagem arte escolhida!

    Boa semana para você também, Pedro!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Esses fantasmas que rondam nosso sono são os piores...

    Seus poemas são ótimos, Pedro. Gosto muito deles.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  28. Precioso poema Pedro.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  29. Esos fantasmas que rondan cuando umbrío son los días de nuestra vida, nos impele la fuerza del espíritu a buscar la luz, la esperanza, para alejar esas turbulencias que opacan el alma.....
    Bello y decidor poema
    Abrazo Pedro

    ResponderExcluir
  30. Uma noite de chuva trás por vezes fantasmas adormecidos, mas concerteza o raiar do sol os afastará.
    Belissimo poema.
    Pedro, recebi um prémio que circula na net e venho partilhá-lo consigo.
    Para mim a importância não está no prémio em si, mas sim no que ele representa, a criatividade, imaginação, inspiração, bem como as horas e dedicação que cada um dá aos seus blogues deixando neles um pouco de si.
    Provavelmente já recebeu de outros amigos esta recomendação, mas fica também aqui o meu reconhecimento pelo mérito do seu blogue.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  31. Muchas gracias por el deleite de tus versos.
    Un abrazo, Pedro.

    ResponderExcluir
  32. Pedro, presenciei pela fenda da noite, suas horas de insônia e, infelizmente, não consegui afugentar os seus fantasmas.
    Lindo poema, amigo!
    Abração!

    ResponderExcluir
  33. "O dia vencerá a noite..."

    e o(s) Sonho(s) vencerão os fantasmas.

    muito bom, Pedro

    forte abraço

    ResponderExcluir
  34. Pedro, mais uma vez os fantasmas são vencidos. Nada é mais forte que o amor. Parabéns.

    ResponderExcluir
  35. TOTALMENTE DE ACUERDO CON: HERÉTICO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  36. Preciosa imagen de batucada en los techos poeta. Es una hermosa obra la tuya y estoy encantada de haberte conocido. Un abrazo Pedro.

    ResponderExcluir
  37. Nadie nos libra de esos espectros o duendes...He quedado muy contenta de leerte Pedro, es genial el poema, mi felicitación y admiración.
    Gracias por tu tiempo y lectura.
    Feliz tarde de jueves.
    Abrazo.

    ResponderExcluir
  38. Sempre a noite é propícia aos nossos fantasmas! Mas ao amanhecer tudo fica claro, límpido, parecem que a luz do sol lhes causam mal! Afugentam.
    Belo poema, mas fantasmas são meio aterrorizantes quando presentes. Custam a desaparecerem...
    Beijinhos daqui do lado!

    ResponderExcluir
  39. Levanta a cortina dos teus olhos,contempla a maravilha do amanhecer.
    A vida é uma criança, já se dizia de antemão de que a vida tende ser assim tal calmaria, tal tormenta quando estamos desejos de novos anseios do dia que esta por vir.... Um grande abraço meu amigo, lindo poema....

    ResponderExcluir
  40. Ah, esses fantasmas! Acordam nossas lembranças e sussuram poesias!
    Bela poesia!
    Feliz fim de semana!

    ResponderExcluir
  41. Que a noite é mesmo de nos trazer os fantasmas, ah, isso é, quando isso acontece só a espera do dia amanhecendo para os afugentar!
    Lembrei-me dos meus de quando era criança, nossa, os via em muitos lugares, nem precisava ser noite,rsrs, hoje rio disso, mas olhe, que "eles" existem, ah, existem mesmo!
    Amei seu belo poema, abraços amigo Pedro!

    ResponderExcluir
  42. Olá Pedro
    É caso para dizer;" quem me leva os meus fantasmas !"
    Tu os enfrentas de mente aberta sem receios porque hà sempre essa luz que nos irradia de serenidade...

    Bjo e continuação de um bom fim de semana

    ResponderExcluir
  43. me ha encantado, mis humildes felicitaciones!!!

    ResponderExcluir
  44. Oi amigo,
    Vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  45. Preciosas metáforas que hacen bello el poema.
    Y sí, el día vence a la noche...
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  46. Fantasmi e luce interiore, spesso appaiati...stupenda poesia!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO