>

5 de mai de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO - O quarto esquecido





O QUARTO ESQUECIDO
PEDRO LUSO DE CARVALHO


Há um quarto de dormir
na casa desperta, neste
dia claro, sem lembrança
opaca ou clara de noites
esquecidas. Há um quarto
de dormir esquecido
feito amor velho
trocado por novo amor
botão de rosa do roseiral.



 *   *   *



45 comentários:

  1. Linda tua poesia,Pedro.Mais uma assim, aliás! abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Quarto de dormir... há coisa mais íntima, mais amiga do que nosso quarto? Nele deixamos nossas dúvidas, nossas tristezas, alegrias; nele encontramos repouso, compartilhamos nossa alma. Trocá-lo? Não, não quero um quarto com rosto desconhecido, deixa-o quietinho, com a idade que tem. Amadureceu junto comigo!
    Belo poema, continuarei com esse quarto que não penso em esquecê-lo, devo-lhe amizade e gratidão eterna.
    Beijinho, parabéns por esse criativo poema Quarto Esquecido!. Meio surreal.

    ResponderExcluir
  3. Grande Pedro numa bela inspiração. E são tantos os quartos esquecidos de suas historias trancadas num criado mudo, que a tudo assistiu e ouviu e ali permanece como testemunha muda da vida que se viveu.
    Aplausos mestre.
    Uma bela ilustração nesta tela.
    Um feliz fim de semana com paz e alegria.
    Meu terno abraço de paz.

    ResponderExcluir
  4. Bello!
    Mi hai fatto ricordare Charles Foster Kane, il protagonista di “Quarto potere”
    Felice weekend, un abbraccio
    enrico

    ResponderExcluir
  5. Olá, Pedro
    Apesar de um pouco...estranho (???) é um belo poema.
    Quarto esquecido...o de solteira, da noiva que o trocou pelo de casada...
    Faz sentido.
    Esta é a minha interpretação, que pode estar errada...
    Quem penetra na alma do poeta???

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  6. Una descrizione poetica attenta, e originalissima, d'un luogo dimenticato,
    ove si rinnovano pensieri d'una nuova creatività....
    Sempre bello leggerti, Pedro, un caro saluto,silvia

    ResponderExcluir
  7. Sempre um gosto ler os seus poema!

    Tenha um bom fim de semana.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Preciosa composición, Pedro. Da gusto pasar por aquí, leer y llenarse de cosas buenas.
    Un abrazo!

    ResponderExcluir
  9. Pedro Luso
    O poema do quarto esquecido emanará de um grande sentimento intimista e afeição.
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Um quarto esquecido,mas sempre existirá a Taís para juntos desfrutarem belos momentos.
    Gostei Pedro.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  11. No le he cogido muy bien el punto al poema porque creo que cambia el sentido en la traducción, aunque parece que entendí que en esa habitación llena de recuerdo por un viejo amor, se olvidaron cuando apareció otro nuevo.
    Un abrazo Pedro y buen fin de semana.

    ResponderExcluir
  12. TU INSPIRACIÓN NO TIENE LÍMITES.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  13. Interessante o teu quarto
    Que era de dormir, um dia.
    Depois, a área vazia
    Inspirou poema farto

    De sonhos. E o belo parto
    Deu luz a uma poesia
    Que eu especularia
    Ser só tua, e eu a reparto

    Com a minha interpretação
    Em que o meu coração
    Sonha-o ser lugar de sonho

    Por ser de dormir e, então,
    Eu sonho com o quarto e em vão,
    Meus sonhos, nele, os disponho.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo teu comentário, feito como poema, por meio do qual me presta homenagem, em cujos versos diz querer compartir comigo o meu poema, cuja coautoria não me negaria, até porque sei ser essa a tua forma elegante de valorizar a quem escreve.
      Um grande abraço, Laerte.

      Excluir
    2. En esa habitación, donde además de los recuerdos, siempre queda pedacitos de nuestro corazón....
      ¡Me ha encantado querido Pedro!

      Un abrazo amigo.

      Excluir
  14. Um quarto esquecido. À revelia de pretéritas lembranças, um botão de rosa devolve enredos que sugerem um imaginário criativo, no difícil jogo de viver...
    Um poema muito inspirador, Pedro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Lindo poema, nostálgico o bastante para nos lembrar de alguns quartos pela vida que permanecem no fundo de nossas lembranças testemunhas de nossas vivências.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  16. Boa noite Pedro.
    Um poema belo, com grande inspiração. Quanto segredo guarda um quarto, dizem que as parede ficam com a impressos dos moradores, então nos quartos deve ficar muitos sentimentos impregnados. Um feliz domingo para vocês. Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Y que viva el amor en todas sus formas.
    Muy bello.
    Un abrazo grande y un lindo fin de semana.
    mar

    ResponderExcluir
  18. Olá Pedro!
    Um quarto não é "esquecido" enquanto extravasar de amor e cumplicidade. Amor maior, amor adulto, amor verdadeiro - até amor velho, por que não?!
    Gostei do teu pequeno (grande) poema.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Bello poema. Besos

    ResponderExcluir
  20. PEdro
    acho que o quarto não ficou esquecido, pois há memórias que voltam sempre.
    e se voltou a rosa, ela simboliza o amor que embora novo, talvez ainda lembre o velho.
    gostei.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  21. Um quarto nunca ficará esquecido pois as suas entranhas guardam segredos e saudades. Poema belíssimo Pedro
    Um abraço

    ResponderExcluir
  22. Un bello poema, Pedro.
    El amor en todas sus manifestaciones a lo largo de la vida.
    Saludos

    ResponderExcluir
  23. Muy hermoso poema.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  24. Pedro:
    bonito poema.
    Pero un cuarto, al entrar de nuevo, se llena de alegría, como esa rosa que se abre.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Entiendo que entre nostalgias y olvidos ante el antiguo dormitorio, hoy vuelve la memoria en tiempos nuevos de vino y rosas. Felicidades por el poema.

    ResponderExcluir
  26. Por vezes há quartos ou divisões na casa... que parecem parar no tempo... os escolhemos, como depósito das nossas melhores memórias, e das coisas que para nós tiveram significado, e ainda não temos coragem de abdicar... e tal como elas... ficam resistindo ao tempo... sem mudanças... não sei se terá sido a melhor interpretação... mas foi a que eu dei... para algumas divisões aparentemente esquecidas... que por vezes destinamos, para tal... por estarem carregadas... de importância...
    Um grande abraço! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  27. Aprecio sobremodo os poemas que me convidam a ler nas entrelinhas e admiro da mesma forma o estilo sóbrio e elegante dos seus poemas...
    Viajei e mudei muitas vezes de habitação, deixei para trás muitos quartos esquecidos... Compreendo intensamente o seu belo poema...
    Abraço, estimado amigo.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  28. Un lugar del que siempre hay un amanecer.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  29. Amigo Pedro:
    Imagino ao ler o seu intrigante e belo poema,um quarto de alguém que partiu, mas sempre que nele entramos, a saudade, dá-lhe vida.

    Um beijinho e boa semana

    O Toque do coração




    ResponderExcluir
  30. Poema certero, directo. Hermosa creación, Pedro.

    ResponderExcluir
  31. Bom dia, belo poema sobre o quarto que guarda fortes recordações, não é o meu caso, pelo facto de alterar constantemente a decoração da mesma, assim evito as recordações.
    AG

    ResponderExcluir
  32. Leer poemas traducidos puede llevar a error, aparte de perder la belleza del idioma original en el que están escritos. De cualquier forma es precioso y te doy la enhorabuena por tu sensibilidad.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  33. Um quarto onde mora o passado.
    Lindo poema
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  34. Como um baú de afetos. A chave até se perdeu, mas não vale a pena procurar. Há uma nova vida que se abre.
    Poema belo e pleno de significado.
    Abraço, Pedro.

    ResponderExcluir
  35. De la misma forma que el botón de la rosa se abre en primavera, el amor vuelve a renacer en aquél dormitorio olvidado.
    El amor siempre será el motor de la vida.
    Cariños y buena semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  36. Um quarto cheio de memórias que não se apagam com as mudança.
    Um belo poema, gostei bastante.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  37. La habitación querida, plagada de recuerdos y olores de otros tiempos, encierro de la memoria más dulce, nostalgias encerradas con llave.
    Un saludo

    ResponderExcluir
  38. Olá Pedro é um bonito poema, gostei da metáfora do roseiral. E a tela combinando com o poema. Ótimo, amei.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  39. Um quarto onde o passado se faz presente,certamente, pleno de muitas recordações.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  40. Olá, Pedro.

    Se há poesia que não é fácil comentar, este seu poema é um deles.
    As suas palavras, que li e reli, deixa-nos a alma impregnada de uma nostalgia imensa. Um nó na garganta que não se desfaz nem se explica.
    Um belo poema para ser lido e sentido, somente.

    Um abraço amigo.
    Janita

    ResponderExcluir
  41. Qual de nós não tem um quarto onde guardamos as nossas memorias.
    Kis :=}

    ResponderExcluir
  42. Bellisimo...

    Esencias se amor nunca olvidadas, y en esa estancia enclaustradas.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO