>

19 de mai de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO - Cofres e ladrões





COFRES E LADRÕES
PEDRO LUSO DE CARVALHO




Feche bem essa porta, meu filho,
há muitos ladrões lá fora.
Feche bem essa porta, meu filho,
se entrarem nada sobrará
do que temos.
(Ratos vêm roer nossos pés).

Sabe onde se escondem os ladrões
dos nossos cofres, meu filho?
Escondem-se em palácios forrados,
tapetes dourados, tecidos em ouro
e prata, embriagados pelo poder.

Mas logo tudo passará, meu filho,
essas bocas ilustres, dos ladrões
de fala fácil, enganosa fala,
não mais terão o que dizer.

Ouve o vento bater na janela,
meu filho, ouve o suave vento
de harpa tangida, nosso alento,
único discurso para ouvirmos.



  *   *   *





26 comentários:

  1. É mesmo muito melhor ouvir o ruído do vento, de qualquer som da natureza...Os outros gritos que saem descarados desses bandidos, melhor nem ouvir. Apenas aguardar pa vê-los loooooooooooooooooonge, muito longe e o quanto antes! Essa corja toda deve sumir pra sempre de nossos dias e vidas! Não aguentamos mais! abraços, chica

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo poeta Pedro, bem verdadeiro seus versos, bem a calhar, queremos ver novos tempos em que pessoas possam valorizar o bem, a decência, o bom caráter, tive bons pais, me ensinaram a honestidade, sinto-me livre por isso, ergo meus olhos e agradeço a Vida por isso!
    Mas como estamos vendo tanta lama, tanta desonestidade, tantas falcatruas, as pessoas duvidam que haja pessoas honestas, pois é, acho que quem duvida da honestidade dos honestos são os que não são e nunca serão honestos!
    Amei te ler como sempre!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  3. Pedro quantas vezes falamos e pensamos com medo de que os ladrões pudessem nos atacar,mas de uma forma diferente,nos assaltando diante de nós e sabíamos com convicção que estávamos diante de criminosos.Mas agora fomos atacados na calada da noite pelos corruptos e ladrões que sem vergonha na cara destruíram a nossa Pátria e ainda riem achando que somos verdadeiros palhaços desse grande teatro.
    Espero que haja uma solução.
    Adorei a crônica.
    Bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este meu poema, intitulado de Cofres e ladrões, diz um pouco do meu sentimento de revolta e de repulsa pelos atos desses políticos indecentes e criminosos, praticados contra os brasileiros honestos e trabalhadores.
      Obrigado Carmen Lúcia.
      Um abraço.
      Pedro

      Excluir
  4. Gostei. É uma verdade insofismável que os ladrões dos palácios são os piores. Eles não roubam por fome, nem por desespero. Roubam por cobiça, e por prazer.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. la naturaleza nos habla con la verdad, los políticos nos hablan con falsedad.
    abrazos

    ResponderExcluir
  6. Excelente poema. Gran verdad.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  7. Lindo! Grandes verdades,

    Beijos, bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  8. Que belo poema, o contraste de ladrões com o que existe de mais cuidado, um filho. Poema regado à mágoas e frustrações que é impossível não vê-las! Assim estamos nós, vivendo num país habitado por essa gente de sórdido caráter interferindo brutalmente na vida do povo. Como se chama isso? Não importa o nome, importa o desprezo que sentimos por esses ratos de esgotos que estão acabando com o país. Sei que esse teu poema nasceu com a bomba que explodiu ontem, mais forte do que o escândalo da Petrobras. O vento, uivando em nossas janelas é um descanso para nossos desalentos. É a natureza dando uma mão...
    Beijinho daqui do lado!

    ResponderExcluir
  9. Belle parole che denunciano un grave problema comune a molte nazioni.
    Buon fine settimana, un abbraccio.
    enrico

    ResponderExcluir
  10. I politici sono una brutta categoria di persone....infatti approfittano
    della lealtà del popolo, per rubare ad esso, rendendogli molto difficile
    la vita.
    Sempre bello leggerti, Pedro, un caro saluto,silvia

    ResponderExcluir
  11. Os maiores ladrões estão mesmo na política, já que na maioria dos casos, para além de se aproveitarem dos dinheiros públicos, estão ao serviço e favorecem o grande capital.
    Um excelente poema. E muito oportuno. Parabéns pelo seu talento poético.
    Bom fim de semana, caro amigo Pedro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns, Pedro, pelo belo poema - sentido, expressivo e denunciante.
    Cabe aos inteletuais a tarefa de intervir e clamar por justiça... verticalidade... honestidade...
    É absolutamente indispensável que exista uma avaliação de desempenho dos governos...
    Muito bom, Amigo.
    ~~~ Abraço ~~~

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Poeta Pedro! Navegando encontrei seu blog e como amo poesias já estou seguindo. Lhe convido a conhecer os meus, se gostar seguir, ficarei grata. Tenha um final de semana feliz, abraços
    Profª Lourdes Duarte
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Pedro, comovi-me com o seu poema, senti-o como se fosse meu (tivesse eu seu engenho)!
    São os nosso filhos as maiores vítimas desses ladrões de fala duvidosa e olhar vampiro.
    Se pudéssemos fazer com que os nosso filhos só ouvissem o vento...
    Lamento muito pela situação que o Brasil atravessa e solidarizo-me com a vossa luta.

    Pedro, permite-me que eu brevemente publique o seu poema no meu blogue ?

    Beijinho e bom fim de semana

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perguntas, Fernanda Maria, neste teu amável comentário:
      "Pedro, permite-me que eu brevemente publique o seu poema no meu blogue?".
      Para mim será motivo de grande satisfação ver o poema publicado no teu blog, querida amiga Fernanda Maria. Claro que podes publicá-lo.
      Obrigado pelo comentário.
      Um abraço.
      Pedro

      Excluir
  15. Boa tarde, Pedro,
    infelizmente, seu poema nos diz na cara, tudo o que estamos passando, canalhas vis, vilões, velhas raposas que nem conseguem andar, mas que ainda querem roubar mais e mais do nosso querido e amado Brasil. Para que haja uma faxina verdadeira e bem feita, temos que arredar os móveis, e tirar os tapetes, aí tudo fica reluzente, esperamos que agora a faxina esteja sendo feita de forma correta,e sem deixar nada nos cantos. Nem podemos falar em vergonha, mas em tristeza. Belíssimo poema ressaltando a nossa desilusões com os políticos ladrões. Abraço!

    ResponderExcluir
  16. Great post. Thanks.

    ResponderExcluir
  17. Ladrões de hoje... que não têm escrúpulos em comprometer a geração de amanhã...
    Eu tenho uma teoria... um dia, os pobres serão tantos... e estarão em todos os lugares... que certamente deixará de haver espaço para os ricos... e menos ricos...
    Já estamos vendo isso actualmente... com a migração imparável, vinda do continente africano... atingindo a Europa todos os dias... pois eles... ainda são bem mais pobres do que nós... mas são muitos... chegam em Espanha e Itália aos milhares... o que vem reforçar a minha teoria... um dia... será isso que acontecerá!
    Um belo poema, Pedro! Super actual!
    Um grande abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  18. Así parece ser que funcionan las mayoría de los políticos en el mundo. Prometen muchos arreglos y luego se queda en nada.
    Un buen recordatorio en tu poesía de como los que están en el poder no cumplen y encima se llevan todo lo que pueden.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  19. Esos ladrones que se esconden debajo de una mascara y así dejan el futuro.
    Un feliz domingo.

    ResponderExcluir
  20. Espero que a promessa das palavras da criança. se cumpram. Estes potentes destruindo tudo.
    Muito belo poema. Obrigado.
    Te abraço.

    ResponderExcluir
  21. Boa noite Pedro
    Vamos acreditar que essas falácias vazias um dia cessem e que os ladrões dos nossos sonhos, da nossa dignidade sejam banidos da face da Terra
    Que a promessa feita ao filho se cumpra
    Uma semana de paz e bênçãos. Abraços! ¸.`★•¸.`★•¸.♥♥♥♥♥

    ResponderExcluir
  22. Querido Amigo.
    Tenho estado ausente por tantos motivos ,
    mas me sinto tão feliz em poder fazer
    essa visita nesse começo de noite de Domingo.
    Lá vem nova segunda com ela a esperança
    de uma semana de alegria saúde e paz.
    As saudades sempre machuca é tudo que sinto
    a cada dia de ausência .
    Uma semana de infinita paz.
    Beijos no coração.
    Evanir...
    **
    Sorrir para curar a dor,
    sorrir para sentir calor,
    assim aos pés do redentor,
    disfarce em cada saudade,
    faça do sorriso forma de amor
    e esse amor vai trasnformar-te.
    Poesias Scarlat.
    Amigo um dia nosso Pais será feliz com seu povo .È preciso acreditar.

    ResponderExcluir
  23. Olá Pedro!
    Venho da Taís com Affonso exorcizando os poderosos ladrões e o encontro às voltas com estes ladrões de sonhos amparados pelos novos elementos de nossa sociedade os delatores que são tanto quanto ladrões e que as vezes se mostram como salvadores, que me dão arrepios tal é a cara de pau deles em delações. Que fechemos as portas e que o vento possa cantar o mais rápido possível, uma canção que possamos falar da esperança.

    Bela construção/inspiração com meus aplausos.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  24. Poema triste que é uma denúncia do que se vai passando nesta realidade terrível... Mas o poeta diz que é possível resistir: "Ouve o vento bater na janela, meu filho, ouve o suave vento de harpa tangida, nosso alento,
    único discurso para ouvirmos". Gostei imenso, Pedro.
    Um a boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO