>

24 de jul de 2016

[crônica] PEDRO LUSO – Hoje tem reunião de condomínio


        
      HOJE TEM REUNIÃO DE CONDOMÍNIO
            – PEDRO LUSO DE CARVALHO


O marido ouve o toque da campainha, mas como não é seu feitio atender ao telefone, interfone e tampouco campainha, deixa esse incômodo para sua mulher.
A campainha tocou, mulher.
A mulher sai correndo em direção à porta. Chega esbaforida, depois de ter tropeçado no tapete e batido a perna na quina da mesa. Abre a portinhola e recebe uma rajada de vento.
Desculpe-me acordar-lhe, dona – diz o zelador do prédio.
Não me acordou, é quase meio-dia...
O zelador entrega-lhe um envelope e pede que assine o protocolo de recebimento. A mulher assina na linha sobre o nome do marido.
Era o zelador – diz a mulher ao marido. – Ele deixou este envelope.
O homem abre o envelope e lê a convocação do síndico para uma reunião extraordinária.
No dia e hora marcados, lá estão alguns moradores na sala de reunião. Como não há quórum, o síndico aguarda algum tempo para a segunda chamada, e depois abre a reunião com quinze condôminos.
Boa noite a todos. Hoje vamos analisar três orçamentos para a pintura do edifício.
Quanto vai custar a pintura? – pergunta um homem, já curvado pela idade.
Nos orçamentos temos preços diferenciados, talvez possamos ficar com o mais barato.
E quanto é esse mais barato? – pergunta uma mulher. – Todos aqui sabem que o meu falecido marido deixou uma minguada pensão.
Eu também ando apertada – manifesta-se outra moradora. – Como vocês também sabem, o meu marido está desempregado a um bom tempo.
Então mande esse folgado parar de beber e procurar um emprego – diz a solteirona do prédio.
Isso não é da sua conta, mal educada. Por que você não procura um marido e deixa de encher o saco?
O síndico diz que todos devem contribuir para que a reunião corra com normalidade, para que possam resolver o problema da pintura externa do prédio.
Vou ler aos senhores os itens que fazem parte do orçamento com o menor preço – fala com voz baixa, para que se esforcem para ouvi-lo.
É bom que essa leitura termine antes que comesse minha novela – diz a mulher vistosa, com as pernas à mostra.
A novela, meu Deus! – exclama outra moradora. – Eu não posso perder o último capítulo. – Se me dão licença...
Depois que a mulher deixa a sala, antes que se decida pela pintura, uma após outra, das nove mulheres, levantam-se e saem. Ficam na sala apenas seis condôminos.
O síndico mal recomeça a falar sobre os orçamentos quando os seis homens entreolham-se cúmplices, numa surda troca de ideias, e retiram-se com discrição.
Na sala fica apenas o síndico, com o olhar fixo nos orçamentos. Logo, diz para si mesmo: “eu é que não vou ficar aqui plantado, justamente hoje, e perder o final da minha novela”.


       *   *   *


35 comentários:

  1. Você registra com uma fidelidade impressionante uma dessas chatas reuniões de condomínio.Bem escrita, linguagem enxuta. Ótimo cronista você é.
    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Pedro, meu amigo!!!
    Hoje venho lhe convidar para conhecer e acompanhar um novo espaço onde estou postando com mais alguns amigos.
    Espero que goste, pois eé um lugar de excelente qualidade e muito bom gosto.
    Aguardo sua visita!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. É bem assim! Reuniões de condomínio são vistas como uma praga em que levam um anos para decidirem algo pequeno. É a reunião dos stresses, fala-se de tudo que possa beneficiar a poucos interessados. É o exercício da política menor, a revelação dos interesses pessoais. Haja paciência. E faz tempo que conhecemos isso, não? Já temos experiência de sobra... Mas acho que valeu mais ter visto o final da tal novela!
    Adorei essa realidade contada com humor. Se tirar o humor, muitas dessas reuniões de condomínio viram caso de polícia ou de hospício.
    Beijinho!!

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Pedro.
    Aqui uma cronica com fidelidade das famosas assembleias.
    Onde moro sempre me perguntam qual dia é melhor, que não tem jogo do campeonato brasileiro. Eu pergunto de qual série A ou B?
    É bem assim, ainda que a pauta seja importante poucos comparecem.Com trinta anos vivendo esta agonia posso dizer de cadeira que ainda não vi uma que terminasse sem baixaria e briguinhas.
    Bom olhar amigo.
    Boa semana de paz e inspirações.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Las reuniones siempre farragosas en las que cada uno va a lo suyo. Besetes.

    ResponderExcluir
  6. As reuniões de condomínio são iguais em todo o lado... Li a sua crónica com o sorriso nos lábios porque você a narra de forma excelente.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Reuniões de condomínio... quase sempre bem problemáticas! E animadas com sessão de gritaria por vezes... uma ou outra...
    Uma abordagem leve e bem humorada das mesmas...
    Mas tem novela assim... com final imperdível! :-D
    Actualmente poucas ou nenhumas vejo...
    Mas lembro que nos anos 80, quando as primeiras novelas da Globo começaram a passar por cá... tinha final de novela que fazia parar o país... inclusivé sessões parlamentares...
    Abraço! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  8. ¡Hola Pedro!!!

    Bueno, he leído con calma este relato que más bien relata con humor y gracia, vuestras vivencias en esa linda tierra que es Brasil! Donde tengo mucha familia. Aquí también se cuecen habas... Está el mundo bastante loco desafortunadamente.

    Te dejo mi inmensa estima y gratitud.
    Un beso y feliz semana.

    ResponderExcluir
  9. E tudo estás bem, quando termina bem...
    e se decide por unanimidade e aclamação! rss

    excelente crónica, Pedro.
    (a democracia é ainda apenas uma (boa) intenção).

    abraço

    ResponderExcluir
  10. A sombra de uma novela, ainda mais se o último capítulo, emperra qualquer decisão nestes tristes trópicos. Dura realidade...
    Forte abraço, Pedro!

    ResponderExcluir
  11. Hola amigo Pedro. En todas las comunidades pasa lo mismo, unos tienen y otros se lo guaran. Ya he vuelto de mis vacaciones.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  12. Olá Amigo creio que a coisa mais difícil deste mundo é combinar ideias e desejos entre condôminos. Acredito sim é que todas as pessoas que já viveram em algum condomínio de apartamentos ou de casas devem ter tido esta triste constatação.
    É o que sua crônica mostra com toda clareza e bom humor.
    Justamente quando não são as novelas é a corrida, o jogo de futebol,ou brigas horrorosas.
    Parabéns pela crônica, amei.
    beijinhos, Léah.
    PS, obrigada pelo comentário em meu blog.

    ResponderExcluir
  13. Boa noite Pedro.
    Ler as suas crônicas é sempre muito bom. Comecei a ler É foi inevitável não sorrir. Reunião de condomínio. Como É bom está livre disso rsrsrs. Passei anos em um condomínio fechado a qual as reunião sempre tinha brigas e nunca chegava a lugar algum. Pois os que nao participavam não concordavam com o resolvido na reunião. Um verdadeiro saco. Você bem relatou como os moradores dão pouca importância. É exatamente assim mesmo. Um linda semana meu amigo. Enorme abraço. Um beijo na minha querida amiga Tais.

    ResponderExcluir
  14. Um belo relato muito bem descrito do que se passa na maioria dessas reuniões de condomínio.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  15. necessárias as reuniões e aqui está um belo espelho daquilo que são, e não devia ser assim...

    :)

    ResponderExcluir
  16. Pedro,

    Renovei o meu estoque de risadas, no domingo dei boas risadas na crônica
    da Taís e agora aqui, vocês dois são amigos de partilha literária que eu
    adoro ler e esperar a cada postagem de vocês e com a certeza da excelência,
    originalidade e qualidade literária a me proporcionar uma leitura
    maravilhosa.
    Excelente crônica, meu amigo.

    Cuidado para a Taís não te convencer a almoçar peixe cru novamente,
    a Taís como excelente cronista busca cenários, material para seus
    originais textos...rss
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha amiga Suzete, vou seguir o seu conselho e não aceitar mais convites da Taís para almoçar peixe cru. Resistirei com todas as minhas forças.
      Obrigado pelo amável comentário.
      Abraço.

      Excluir
  17. Gostei muito dos seus contos. De forma curta mas muito completa. Directo ao assunto mas com todo o que precisa, para nos deleitar e prender á historia. Vou voltar. Até lá.

    ResponderExcluir
  18. ¡Esas horribles reuniones de escalera!

    ResponderExcluir
  19. GRACIAS AMIGO POR TU VISITA ...HA SIDO UN PLACER RECIBIRTE Y DEJARME UN COMENTARIO ...HERMOSO BLOG.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  20. Ótima quarta!!!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  21. Vivo en condominio, estimado Pedro. Puedo acreditar que suceden esas cosas y muchas más.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  22. Divertido leerlo y cuando no se tiene que sufrir. Hace tiempo que ya no acudo a ninguna reunión. Y el último copropietario perdía su novela personal. Es curioso ese final. Genial. Saludos muy afectuosos.

    ResponderExcluir
  23. Olá, Pedro
    Um conto com bastante humor, com um final que me fez dar uma boa gargalhada.
    A conversa entre as "condóminas" fez-me lembrar as reuniões aqui do meu prédio (assisti apenas a duas, logo de início, depois desisti...) em que as "senhoras" se "mimoseavam" entre si. O pobre do meu marido é que teve que aguentar, enquanto foi vivo; a partir daí, passo procuração ao administrador (síndico, como vocês chamam) para me representar.

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  24. Excelente metáfora para a maneira com a maioria das pessoas desempenha seus deveres cívicos...

    Abraço grande e bom resto de semana

    ResponderExcluir
  25. OI PEDRO!
    SÓ RINDO MESMO, ATÉ PORQUE, ACONTECEM COISAS BEM PARECIDAS COMO O QUE NARRAS EM TUA HISTÓRIA.
    NOS TRAZES UMA VERDADE MAS, ESCRITA COM TUA VEIA CÔMICA, FICA DEMAIS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Um relato de uma reunião de condomínio. (possibilidade)
    Uma escala de valores manchada de interesses pessoais.
    Impossível trabalhar ou resolver alguns problemas colectivos.

    Aceite um abraço de amizade e agradecimento pela visita.
    Peço desculpa de andar a escrever pouco, mas ando sem inspiração.

    ResponderExcluir
  27. Em matéria de responsabilidades de condomínio, comunitárias, cívicas, democráticas estamos entendidos. Por cá, diz-se "o último que feche a porta"!
    "Para participar, o outro é. que tem feitio para essas coisas, para criticar, dizer mal, chamem-me que estou sempre pronto".
    Bem esgalhada, Pedro.

    ResponderExcluir
  28. È mesmo asim as reuniões de condomínio :)
    Siempre habrá ciertos figurinos que se lleven el protagonismo.
    Saludos, me gusto mucho su relato.

    ResponderExcluir
  29. Oi amigo, muiro bom, adorei! Gostei muito do final, ri muito kkkkkk
    Vim lhe desejar um excelente final de semana, fique com Deus!!!

    ResponderExcluir
  30. Os horários das reuniões devem ser bem pensados, de modo a não coincidirem com coisas "importantes"...
    Uma bela história e bem realista. Gostei imenso, caro amigo.
    Pedro, tem um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  31. Boa tarde, Pedro, sempre com sua escrita inusitada. Vale a pena ler, não tenho tal problema, porque moramos em uma casa, mas já participei de muitas destas reuniões , e até ata me pediram para fazer. Sei que acontece reuniões semelhantes ao que você descreveu, é a realidade posta em palavras, nos dão a oportunidade de rir um pouco, pois você deixa a comicidade colorir o que escreve, sendo assim, dá - nos curiosidade de lermos mais e mais. Tenha um lindo final de semana com a moça linda, que fica do outro lado da parede do seu escritório! rsssssssss

    ResponderExcluir
  32. Pedro
    A pintura do prédio pôde esperar, mas ninguém perdeu a telenovela, nem o síndico,
    quem próxima procurá outra hora. Bem no fundo, na realidade, todos desejam adiamentos. E na verdade a fição fica sempre fica sempre próxima da realidade como se vê.
    Postagem “Maranhão – São Luis”
    Veja e comente o post
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    BRASIL: O SORRISO DE DEUS.

    Abraço

    ResponderExcluir
  33. Bel racconto! Riunioni che lasciano sempre l'amaro addosso, tra indifferenza, superficialità e furbizie...letto volentieri, buona giornata Pedro e complimenti!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO