>

12 de mar de 2014

[Poesia] PEDRO LUSO – A alma do homem







  A ALMA DO HOMEM

  – PEDRO LUSO DE CARVALHO



Corpo frágil estendido
na cama,
e as marcas do tempo
no rosto do homem.
No quarto em desordem
raios de luz dão lugar
ao breu da noite espectral.

A noite matou a esperança
no espírito do homem,   
que, aflito, percebe acenos
de despedida.
Súbito, gélido e sibilino
vento invade o  quarto
e leva a alma do homem.

Suave perfume
no ar denso do quarto.
Sobre o corpo do homem,
um lírio branco
de longa haste –
espada e lança  gastas
em inúteis batalhas.



*  *  *




6 comentários:

  1. Poema forte, mas totalmente dentro da realidade. O lírio branco de longas hastes é a espada que em vão, muitas vezes lutou por um final inútil! Poético...
    Profunda essa tua reflexão, ao mesmo tempo que frustrante com o final de muitas vidas cortadas pela inveja, pela brutalidade e crueldade das ações do próprio homem. Conseguiste passar uma situação muito aflitiva...

    Beijinho, Pedro!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, Pedro. Um poema muito bom, de uma grandeza espetacular.
    Muitas vezes lutamos e não conseguimos absolutamente nada em nossas batalhas, apenas confirmar que o homem não mais consegue se reestruturar, caminhando cada vez mais para uma humanidade fria e sem fé, tristes ais, fazer o quê?
    Parabéns.
    Beijos na alma e excelente domingo de paz!
    Tentei seguir o seu blog, mas não sei o que está havendo esses dias, não estamos conseguindo seguir espaço algum, reclamação de todos.

    ResponderExcluir
  3. Pedro, aportei aqui no Veredas, seguindo a seta lá no blog da Taís e não estou arrependido, pelo contrário, estou contente e aturdido ao perceber o nível do blog. Parabéns.
    Veredas, título sugestivo. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir
  4. Pedro, obrigado pela visita ao meu modesto espaço. Tu falaste que teve dificuldade para entrar no meu blog. Sabe, que às vezes eu também por isso, porém, outras vezes, usado o navegador Mozilla Firefox acabo conseguindo.
    Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir
  5. Olá Pedro! Enquanto o pessoal lá do prédio saiu da reunião para assistir novela, aproveitei para passar aqui e apreciar este teu belo e profundo poema. para quê lutar se o dia sempre chega. O melhor é aceitá-lo com resignação.

    Abraços, parabéns pelo dia do blogueiro, e um ótimo outono para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  6. UN TEMA FUERTE , BIEN PLANTEADO Y MEJOR VERSADO.
    ¡ME HA ENCANTADO, GRACIAS PEDRO!

    BESOS

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO