>

28 de out de 2017

(Poesia) PEDRO LUSO – A Mulher e o Tempo




    
       A MULHER E O TEMPO
         – PEDRO LUSO DE CARVALHO
  



Não me esqueci. Foi em Uruguaiana,
naquela fazenda, há muitos anos.
Chora a mulher, ao despedir-se.
O homem promete um dia voltar.

A mulher mantém-se corajosa.
Aceita dos dias os açoites
para que jamais morra a esperança –
espera que seu homem não demore.

Da ausência, toma nota a mulher,
oanos que passam são anotados,
tudo escreve com miúdas letras
nas margens gastas de um velho livro.

Num dia de vento, sente o engodo,
num momento de meditação,
no seu quarto de tristeza e preces:
não voltará o seu esperado homem.

Naquelas margens gastas do livro,
a mulher não faz mais anotações,
alheia com o passar do tempo –
já não tem mais por quem esperar.

Ficaram no rosto da mulher
as tantas marcas cruéis do tempo.
Da longa espera, o aniquilamento –
nada mais há para ser lembrado.



   
  *   *   *





53 comentários:

  1. Adorei o poema! Parabéns.

    Beijo
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Triste espera infrutífera! Pena! Desilusão! Linda poesia! abração praiano,chica

    ResponderExcluir
  3. Bela lembranças amigo em forma de poesia. Mais uma obra prima sua. Parabéns! Abraços, com desejos de um fim de semana iluminado por jesus.

    ResponderExcluir
  4. Un dolore intenso e pungente, che ha lasciato sul volto di donna, una traccia indelebile
    Buon fine settimana e un saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  5. Abençoado final de semana!!!!!! Beijokas

    ResponderExcluir
  6. Bonito poema donde la espera hace llagas en el corazón y surcos en la cara, mientras el libro se cierra porque la esperanza se acabó.
    Me gusta mucho el óleo que has dejado.
    Un buen fin de semana te deseo Pedro.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  7. De contagiante amargura!
    A tua bela poesia foi de dor porque de dor é a vida que retratas.
    Beijinho, Pedro.

    ResponderExcluir
  8. o roteiro da Dor, tão amargamente descrito.
    o Poeta, testemunha impotente, redime a má consciência do Mundo.
    em seu grito descarnado.

    forte Abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  9. Muy bueno.

    Muchos besos

    ResponderExcluir
  10. VERSOS EXCELENTES!!!!!!
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  11. Poesia para reler.

    Subtil e sensível.

    ResponderExcluir
  12. Un abrazo desde mi España convulsa

    ResponderExcluir
  13. deduje que es un poema a la mujer
    bonito trabajo

    ten una excelente semana
    gracias por tu huella

    ResponderExcluir
  14. Un bello poema.

    Te deseo un feliz fin de semana
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  15. Oi amigo Pedro, que linda poesia! Bela escolha de palavras!
    Como já disseram, temos que viver o agora e aproveitar as pequenas alegrias que a vida nos proporciona!
    Abraços e tenha uma excelente semana, fique com Deus!

    ResponderExcluir
  16. Trásgica historia la de una espera que nunca retornará y con el final de no tener siquiera la esperanza de esperar. Muy emotiva. Las palabras han cobrado todo su seentido y nos han hecho sentir la emoción de los versos.

    Feliz semana. Un abrazo. Franziska

    ResponderExcluir
  17. Toda espera acelera uma reação, que vai de encontro à emoção da despedida, que gera a incerteza da volta e com os correr dos dias vazios, uma força impõe na incerteza a certeza do que a mente insistiu em guardar e perde-se o encanto num canto com todas suas melancolias e desgosto. Foi em Uruguaiana, foi no sertão, esperanças despedaçadas com a corrosão do tempo.
    Belo trabalho em poesia Pedro.

    Uma semana leve e alegre amigo.
    Meu terno abraço de paz.

    ResponderExcluir
  18. Bela poesia amigo!
    Como sempre seus poemas são muito bem concebidos!
    Histórias poéticas com principio, meio e fim!
    Nem sempre o que se espera acontece infelizmente.

    Meu Abraço Fraterno.
    E que sua semana seja muito feliz e abençoada!

    Muito obrigada por suas frequentes visitas.

    ResponderExcluir
  19. Olá, Pedro.
    Quantas vezes repetida por esse mundo, a história do seu poema, num sem fim de contar os dias, de esperar amores que não voltarão, jamais.
    Tantas histórias, tantas mulheres.
    abç amg

    ResponderExcluir
  20. E cada ruga do rosto foi um caminho onde a angústia se deteve...
    Um poema belíssimo e cheio de sensibilidade a contar uma história triste, igual a tantas que acontecem.
    Uma boa semana, meu Amigo Pedro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  21. Dolorosas e sofridas são todas as esperas, mas as que terminam assim, destroem a alma e coração.
    Palavras sentidas e profundas, um poema lindo.
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  22. me gusta tu intensidad cuando escribes.
    un abrazo

    ResponderExcluir
  23. E assim o tempo passa e quando damos conta, resta uma triste solidão, pois todos ou quase todos se afastam, enfim, tinha meu pai que hj é minha inspiração, nunca esqueço os gestos, o carinho, amor e respeito com ele lhe dava com tdos, sempre que escrevo ele me vem a cabeça, p´ra ele escrevi O velho poeta , A solidão de um poeta. Estou falando pq A mulher e o tempo que acabei de ler aqui muito me tocou, poesias assim tocam profundamente pq lembro meus pais, as marcas da idade chega pra tdos.

    Bjos e feliz semana!

    ResponderExcluir
  24. Bom dia Pedro,

    O tempo voa que nem percebemos.
    Bjs

    Tânia Camargo

    ResponderExcluir
  25. Há destinos assim... cruéis...
    Quando a pessoa, não tem capacidade de reagir, fenece.
    Um poema bem estruturado, expressivo e muito humano.
    Uma composição excelente.
    Abraço, Pedro.
    ~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  26. Foi a morte da esperança, só restaram desilusão e mágoas.
    Linda e triste poesia. Parabéns,
    Abraços, Léah

    ResponderExcluir
  27. O tempo tudo devia curar, mas o pensamento é mais poderoso.

    Beijo

    ResponderExcluir
  28. Preciosas e expressivas palavras em versos. Uma feliz e maravilhosa

    ResponderExcluir
  29. Quanto sofrimento! Essas são as amarguras que não precisavam existir. Por que enganar alguém assim? Poderia o homem dar um adeus e deixá-la livre para refazer sua vida. Mas não, por vezes o objetivo é tão covardemente escondido que da nisso que deu: uma infelicidade enorme, uma vida inteira jogada fora.
    Disse tanta coisa num belo poema!
    Beijinho daqui do gabinete ao lado!

    ResponderExcluir
  30. Hermosura y belleza de palabras que nos hacen sentir que apenas somos tiempo, y sin embargo, el tiempo del vivir, cómo y cuando, se puede vestir o desvestir. Así dejamos...
    Me ha gustado muchísimo este poema. También la imagen evocadora del paisaje del recuerdo.
    Un abrazo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  31. Hermosos versos nos regalas ...
    La mujer es el eterno femenino y el hombre el eterno masculino...
    juntos hacen que el mundo, sea mundo habitable, y el amor amor universal.

    Un abrazo y feliz semana.
    MA.

    ResponderExcluir
  32. um poema dorido e cruel e o pior é que há sofrimentos que deviam ser evitados.
    no entanto é um bom poema que retrata a dor e a desilusão.
    beijinhos
    :(

    ResponderExcluir
  33. Bellísimo poema Pedro, adornado con un paisaje melancólico y significativo.

    Abrazo austral.

    ResponderExcluir
  34. Es muy triste esperar y esperar lo que no ha de llegar, amargo sufrimiento.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  35. ¡Hermoso poema! Esta vez Penélope, vieja a fuerza de esperar, no tuvo final feliz.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  36. Um poema triste e pungente de quem espera e desespera por tanto esperar em vão.
    Quantas mulheres passaram por esse tormento?
    Muito tocante este seu poema, Pedro!

    Gosto da sua poesia sempre numa abordagem de temas que retratam vidas verdadeiras.

    Um abraço com profunda admiração.

    Janita

    ResponderExcluir
  37. Un poema triste.
    Las ausencias se hacen pesadas
    y duras cuanto mayor es el tiempo transcurrido...

    Un abrazo

    ResponderExcluir
  38. Uma bela homenagem a essas resistentes mulheres que por vezes levam uma vida "forçada" de solidão pela ausência dos companheiros.
    Um bom mês de Novembro.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  39. Esperou tanto, e confiante não percebeu os efeitos do tempo. Amar sim, perder o amor próprio jamais!
    Tenha um abençoado dia Pedro.

    ResponderExcluir

  40. UN TEMA DE HERMOSO, QUE PLASMA A LA MUJER COMO SIGNO DE FIDEDIGNO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  41. Amigo, belas lembranças para um poeta transformar em poesia. Parabéns! grata pela visita, abraços

    ResponderExcluir
  42. Espera que y el tiempo marcará el momento, tan solo esperar.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  43. E o tempo passa a seu ritmo, sem piedade e sem esperar por alguém; esperamos sempre nós alguma coisa e essa e tantas outas mulheres ( homens também. ...) esperam que, pelo menos a vida lhes poupe alguns dos açoites que tem recebido. Não consigo entender a vida que para uns só açoites traz e para outros só abraços com se fossem os seus adorados filhos; e não me venham dizer que essa mulher não soube dar o devido valor ao tempo que foi passando e que a vida tão generosamente lhe ofereceu, porque eu não aceito. Nenhum de nós pediu à vida para nos trazer a este mundo, mas ela trouxe e nós tivemos que lne obedecer seguindo o caminho traçado; não me lembro de ter feito algo de tão maravilhoso que não tenha merecido uns açoites e também não vejo nestas mulheres nada de tão grave que mereçam tanto desespero, tanto sofrimento e desamparo. Mas, ela é forte e o tempo que continuará a passar, com certeza virá desta vez acompanhado de uma brisa mais suave que entrará no seu coração preparando-o para um novo ciclo de esperança e quem sabe de um novo amor, de um companheiro que a saiba respeitar . Junto com o tempo novo chegará um outro livro, de páginas brancas onde ela começará a anotar cada palavrinha meiga e carinhosa que lhe forem dadas pela nova compnhia que o tempo lhe trará. Pedro, num belo poema conseguiste " encaixar " o tanto de sofrimento que carregam mulheres e homens deste nosso
    mundo tão ingrato e desogual. Parabéns, amigo. Um beij7nho
    Emilia

    ResponderExcluir
  44. Vamos lá corrigir.....outras...têm...lhe.. que lhe for dada...desigual e...beijinhos, amigo, desculpando-me por estas falhas
    Emilia

    ResponderExcluir
  45. Amigo, fez-me lembrar das histórias em que o tropeiro e sua comitiva partia da fronteira com destino a São Paulo, por trilhas a atravessarem sangas, riachos e rios como o Uruguai, onde o gado passava a nado guiado primeiro pela mula madrinha. Era uma aventura sem par. Em Lajes descansavam e "dá-le" viagem onde o sinuelo apontava chamando a peãozada, depois de um bom carreteiro. Muitos eram atropelados pelo destino e sucumbiam. Quem sabe, o personagem do poema seja um desses. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  46. Caro Pedro, eis duas belas obras: o óleo do teu xará e o teu poema, escrito autoral.
    Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  47. Las crueles marcas del tiempo en el rostro y en las manos, nos delatan. Siempre esperamos sin cansarnos mientras el tiempo corre en contra nuestra.
    Bello poema, querido amigo, Pedro.
    Abrazos

    ResponderExcluir
  48. Boa noite Pedro.
    Que emocionante poesia, acho que hoje estou bem sensível, li o seu poema e me vi imaginando a pobre mulher passando os seus anos a espera do seu grande amor para depois perceber que perdeu a sua vida por alguém que não a merecia e fui lendo e me emocionando Acho que reconhecemos um bom poeta, justamente quando as poesias consegue fazer vim a tona emoções e isso meu amigo é o que mais faz. Meus parabéns pelas poesias tão bem escritas. Um feliz noite para você e para Tais. Beijos.

    ResponderExcluir
  49. Bom dia Pedro
    Com que ternura você encadeia nestes soberbos versos a desilusão de uma mulher que ficou anos esperando pela volta do amado. Um poema nostálgico e comovente. E muito lindoooo
    Tenha um bom dia
    Um forte abraço da amiga,
    Gracita

    ResponderExcluir
  50. A mulher disse adeus, sempre esperou até seco. E ele pensou que ele voltou, ele não o fez.
    Triste, mas muito bem escrito e , acima de tudo situação que parece muito real.
    Um grande abraço , poeta .
    * Desculpe se não está escrito corretamente , eu fiz com o tradutor , por isso, não se assuste se eu escrevi algo errado :)

    ResponderExcluir
  51. Por vezes, há vidas assim... feitas de espera, amarguras e desilusão...
    Mais um belíssimo e tocante poema... que percorreu o tempo de vida dessa mulher... de uma forma admirável!
    Gostei imenso! Abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  52. Boa tarde, Pedro,
    por meio deste admirável poema, podemos verificar a força do poeta ao transpor uma história para os versos.Nada nos surpreende, pois sabemos que muitas mulheres passaram por situação análoga, e que em alguma época foram chefes de família,pela espera interminável e sem sucesso, do ser amado. Tenha uma linda tarde. Abraço!

    ResponderExcluir
  53. Pedro:
    yo creo que la mujer no hizo bien en esperar tanto tiempo. Si el hombre la quería, habría vuelto junto a ella. Si la ausencia tenía que prolongarse, mejor que ella hubiese ido con él. Demasiado tiempo de espera no es bueno.
    Abraços.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO