>

7 de out de 2015

[Poesia] PEDRO LUSO – No Decurso da Noite Longa



[ESPAÇO DA POESIA]
                  
NO DECURSO DA NOITE LONGA
– PEDRO LUSO DE CARVALHO


No decurso da noite longa
ouço o som
da fala do tempo
e os laçaços do vento
lacrimoso nas paredes da alma.

No decurso da noite longa
lembranças suspiram –
esperam reviver  
momentos passados
no tempo, flecha solta do arco.

No decurso da noite longa
o remorso,
ferro em brasa
derretendo as bordas
da alma em morte lenta.

No decurso da noite longa
sôfrego desejo
de esquecer males e danos,
esfomeados morcegos,
cometidos por deliberada maldade.



*  *  *

25 comentários:

  1. Linda inspiração nos dá o decurso da noite longa, encontro com nossa alma, caímos no verdadeiro encontro conosco mesmo!
    Amei ler!
    Abraços amigo Pedro!

    ResponderExcluir
  2. Oi Pedro,
    Uma poesia clássica enfeitada de lindas metáforas.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
  3. Molto bello leggere le tue emozioni poetiche d'una notte profonda
    Un caro saluto, Pedro,silvia

    ResponderExcluir
  4. Durante a noite longa o tempo sobrevoa-nos, trazendo no vento o que não deveria nunca ter acontecido. A maldade persegue-nos como uma espada fina e penetrante.
    Na noite longa e tantas vezes no decurso dos dias.
    Excelente poema, Pedro.
    xx

    ResponderExcluir
  5. De esas largas noches convertida en poesía es uno de tus fragmentos que nos dejas para disfrutar un rato en tu hogar, un abrazo.

    ResponderExcluir
  6. No decurso da noite longa tornamo-nos mais introspectivos e voamos em busca do nosso eu interior tentando compreendê-lo pois neste emaranhado do nosso cérebro está recolhida nossa grande verdade
    Um poema fabuloso, Pedro
    Tenha um ótimo dia
    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Hermoso poema!!..., versos abren el alma en su profundidad inspirados bellamente en la larga noche
    Fuerte abrazo, Pedro

    ResponderExcluir
  8. Lindo e contundente poema.
    Nas noites longas insones, onde os remorsos pelos erros se misturam as boas lembranças, num misto de querer esquecer as maldades e reviver. os bens causados, vem a ansiedade por dormir.
    abraços,
    Léah

    ResponderExcluir
  9. OI PEDRO!
    NO DECURSO DA NOITE LONGA, NOS BUSCAMOS, TENTANDO EXORCIZAR NOSSOS MORCEGOS INTERIORES.
    MUITO LINDO TEU VERSEJAR.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gostei da repetição em cada verso "No decurso da noite longa". Acho que essa técnica dá força ao poema. Estou pensando como a noite é importante, tanto na festa da alma como na sua tristeza ou reflexões. Tudo de noite tem sentido, tem peso, bem diferente do dia onde fazemos parte do burburinho da vida... Parece que a noite dá maior dimensão à agonia.
    Beijinho, aqui do lado...

    ResponderExcluir
  11. UNA NOCHE DE BRILLO POÈTICO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  12. Si la larga noche atrae los remordimientos por la maldad cometida, no está todo perdido. Aún hay conciencia, aún hay sentimientos, amigo Luso.

    ResponderExcluir
  13. Maravilhoso poema! Excelente encontro de palavras!
    Abraço

    ResponderExcluir
  14. ¸¸.ჱܓ
    Uma poesia muito forte... "cometidos por deliberada maldade".
    Talvez fosse preciso pedir perdão!...

    Ótima semana!❀ミ
    °•..❀Beijinhos.◦

    ResponderExcluir
  15. Bom dia, Pedro, aos poucos vou fazendo minhas visitas aos meus amigos . "No decurso da noite longa", há tanto a se refletir nesta noite longa, ou será uma metáfora para a morte? É nesta longa noite que podemos pensar , analisar, refletir sobre o tempo que foi e não volta, como a flecha que saí do arco, não volta..... quantos sentimentos nos voltam à memória como açoites que machucam a alma, e dilaceram o coração, é portanto nesta noite longa que fazemos o testamento da nossa vida , li seu poema com esta interpretação. Fez me pensar também . Obrigada! Abraço!

    ResponderExcluir
  16. A veces traduzco tus poemas, la mayoría de ellas los leo en voz alta y me dejo llevar por la musicalidad del lenguaje, aunque existan fragmentos en los que me pierda,,,pero el sentido y el alma de la poesía permanecen.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  17. No decurso da noite longa a reflexão acontece ...Momentos na vida...
    Um abraço,
    Élys

    ResponderExcluir
  18. Oi amigo, vim lhe desejar uma excelente semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  19. No decurso da noite longa
    ouço o som
    da fala do tempo
    e os laçaços do vento
    lacrimoso nas paredes da alma.

    Estos cinco primeros versos abren la mente, la llevan a un espacio de sufrimiento. Sin embargo, el poema sigue y no consigue superar el dolor sino mas bien, reafirmarlo. Interesante y emotiva situación del alma.

    Que la luz de la inspiración le acompañe siempre. Ha sido un placer la lectura que he creído entender. Saludos cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
  20. Pedro, ainda que na noite longa, o poeta com um belo poema de acuidade, tem o condão de a tornar suave, como fica patente.
    Reportando-me, o meu poema é um dos muitos que, tenta deixar esboço de realidade. De fato quem conhece as terras banhadas pelo Rio Mondego, desde a local do nascimento até à foz, fica até a imaginar e influência Árabe e Moçárabe.
    Abraço

    ResponderExcluir
  21. A profundidade das reflexões noturnas, que parece retardar a alvorada. Tudo é maior nesse espaço de tempo, onde o silêncio nos faz ouvir outras vozes, as que vêm de dentro. Abraço.

    ResponderExcluir
  22. Hay noches que son eternas... noches amargas.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  23. Profonda e bella introspezione! Il silenzio della notte ci parla con la voce della nostra anima, ripropone gioie e mancanze e la luce spesso appare troppo lontana...Un caro saluto Pedro, e ancora complimenti!

    ResponderExcluir
  24. Bonito, hein?...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  25. A noite carrega figuras estranhas, a noite se alonga quando os sentimentos se apavoram e ou desencontram. Penso mesmo que poesia passeia pela noite, junto das criaturas noctivaga assim se torna longa até que um ponto desavisado vem finalizar.
    Uma bela inspiração construção de poesia que suspira.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO